• Pr. Henrique Lino da Silva

O VERDADEIRO AMOR


“Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor.” (João 15:9)

            Jesus fala para os seus discípulos, que são todos aqueles que se propõem a viver de acordo com os seus preceitos. Devemos atentar bem para a sua fala e observar como foi o amor de Deus por Jesus, como foi mostrado esse amor, porque escuto as pessoas afirmarem que Deus as ama e por tal motivo vai lhes dar o melhor desta terra, que elas têm direitos e receberão bens, riquezas e grandes coisas aqui. Só de se pronunciarem assim sabemos que não conhecem Deus e Jesus, sabemos que não são discípulos, porque temos que atentar para a maneira como Jesus viveu quando em carne. Cristo apareceu, melhor dizendo, surgiu como homem aqui no mundo nascido de uma virgem em uma família simples. Foi uma criança normal, sem fazer nada de extraordinário; ajudava José na carpintaria, onde aprendeu o ofício de carpinteiro, e até os seus trinta anos aproximadamente foi um jovem comum, como tantos outros da época. Mas, após passar pelo batismo com João, aí sim começaram os seus problemas. Foi levado pelo Espírito de Deus ao deserto para ser tentado pelo diabo, onde permaneceu durante quarenta dias sem comer e beber. Depois começou a pregar. Não tinha residência fixa, vivia de cidade em cidade, era perseguido, caluniado, depois foi preso, traído, humilhado, cuspido, chicoteado, rejeitado, escarnecido, crucificado, e morreu na cruz do Calvário. Mas isso tudo foi feito de acordo com a vontade de Deus, e o que aconteceu a Jesus não foi decorrente da ira, da raiva de Deus, mas de seu amor por Jesus e por nós. Assim Jesus, ao afirmar que assim como Deus Pai o amou, Ele também nos ama, quer dizer que o amor é normal e esperado na vida do cristão legítimo. Devemos analisar o amor de Deus pelo seu Filho amado, porque Jesus não teve, não adquiriu nenhum patrimônio, não ajuntou dinheiro, o que possuía, que eram as suas vestes, elas lhe foram tiradas e sorteadas entre os soldados, e Ele foi crucificado somente com uma espécie de cueca da época. Portanto, Jesus está afirmando que deveremos passar por lutas, por necessidades e sofrimentos, e que isso não é a ira de Cristo, mas o seu amor por nós, pois, assim como o Pai o amou, Ele nos ama. Com isso sabemos que todos os religiosos que ficam afirmando, prometendo às pessoas que Deus vai lhes dar isto ou aquilo, que vai transformá-las e deixá-las ricas estão mentindo, e o deus deles é outro. Cristo deixou bem claro que no mundo teríamos aflições, mas que, se tivéssemos ânimo, nós venceríamos Nele, assim como Ele passou por todas provações e venceu, pois hoje está sentado à direita de Deus Pai e vive por toda a eternidade, reinando e comandando tudo, uma vez que o Pai lhe entregou tudo.

 “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.” (João 15:10). Compreendendo o amor de Deus por Jesus e aceitando esse mesmo amor dispensado a nós por Cristo, então obedecemos, praticamos os seus ensinamentos, porque sabemos que seremos vencedores Nele. Mas essa não é uma vitória passageira, rápida, uma vitória física ou material, mas espiritual, eterna. Assim como Cristo venceu, nós venceremos Nele e desfrutaremos de vida em abundância, se praticarmos, se obedecermos a seus mandamentos, a sua Palavra, a seus Evangelho. Jesus foi obediente ao Pai, e essa obediência o levou até a cruz, mas depois à vitória, e se somos discípulos Dele, sabemos que devemos pegar a nossa cruz e segui-lo. Seguir Jesus não é ir de primeira classe ou de outra maneira luxuosa, e sim lutar, combater o bom combate. Somos peregrinos aqui, estamos de passagem, somos estrangeiros neste mundo, porque caminhamos em direção ao Reino, portanto é normal sermos odiados, perseguidos e escarnecidos aqui, mas, como somos sabedores disso, quando isso acontece, não ficamos tristes nem desanimamos, mas glorificamos Cristo, porque sabemos que estamos em seu amor. Assim, a nossa preocupação não é adquirir patrimônio ou ajuntar bens aqui, porque sabemos que não é nosso território, devemos nos preocupar em ajuntar tesouros no céu.“Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo. O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.” (João 15:11-12). O gozo, a alegria de Jesus estará em nós, e a nossa alegria será perfeita, completa, transbordante, quando alcançarmos a vitória, quando vencermos essa etapa das nossas vidas. Mas isso só será possível com obediência, com a prática da Palavra, e não tentando acrescentar coisas ao Evangelho. Não podemos tentar mudar a Palavra do Senhor, caso contrário, seremos refutados e padeceremos por toda a eternidade, e o único paraíso que conheceremos será o que tivermos neste mundo. Temos que aprender a amar o próximo como a nós mesmos, e esse amor não é o que tolera ou aceita, concorda com o erro, com o pecado, para não machucar, ferir magoar a outra pessoa, e sim o amor de Cristo, que fere, que rasga a carne, o amor que confronta. Assim como gostamos de ser alertados quando estamos em erro, também devemos alertar todos sobre os seus erros e o caminho que estão seguindo, que os levará inevitavelmente à morte eterna se não se arrependerem. Temos que demonstrar o amor de Deus sempre falando a verdade e jamais concordando com qualquer tipo de pecado, pois Cristo é Santo e exige que sejamos santos, caso contrário, não conseguiremos nos aproximar Dele. Amar com sentimento Divino, não com sentimento carnal, que conduz à morte. “Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu Nome pedirdes ao Pai Ele vo-lo conceda. Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros.” (João 15:13-17).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino

0 visualização

©2020 por Ministério Atalaia do Evangelho de Deus.

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • Instagram