• Pr. Henrique Lino da Silva

Levantando os olhos

“Jesus falou assim e, levantando seus olhos ao céu, e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti; assim como lhe deste Poder sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos quantos lhe deste.” (João 17:1-2)

Todos nós devemos prestar atenção nas orações que Jesus fez, e se observarmos atentamente, aprenderemos a como orar e paramos de ficar fazendo vãs repetições. Assim iremos compreender que oração é um diálogo, uma conversa de um filho com o Pai. Portanto, não importa a situação que estejamos passando, não importa se precisamos clamar ou lhe agradecer, vamos direto a Ele em Nome de Jesus e conversamos, agradecemos, pedimos com todo respeito, com toda deferência. Jesus, sabendo que estava chegando a hora de ser preso e depois crucificado, Ele então fala com o Pai de maneira audível, para que os seus discípulos ouvissem e aprendessem, e também para que ficasse registrado. Jesus pede a Deus Pai que o glorifique para que Ele também possa glorificá-lo, porque a morte de Jesus foi para a glorificação de Deus Pai. Jesus ainda lembra, fala com o Pai, de maneira que os discípulos ouçam, que Ele sabe que o Pai deu todo Poder a Ele sobre toda a carne, ou seja, sobre todas as pessoas, e que, através Dele, essas que o Pai lhe deu poderão ter a vida eterna. A vida eterna está em Jesus, e ela Deus lhe deu para que através Dele todas as pessoas pudessem ser salvas. “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” (João 17:3). Jesus, sabendo que os discípulos estão ouvindo o diálogo Dele com o Pai, faz questão de esclarecer o que é a vida eterna que Ele dará a todos. Explica que vida eterna é que as pessoas conheçam, respeitem e amem a Deus Pai como único e suficiente Deus e a Ele, que foi enviado pelo Pai para trazer salvação a todos. Por esse motivo acho que as pessoas devem ter dois tipos de oração: a primeira de diálogo com o Pai, quando estão a sós com Ele, e a outra quando houver outras pessoas ouvindo. Quando pessoas estiverem ouvindo, devemos ser ainda mais claros, para que elas possam entender e aprender não somente a orar como também sobre quem é o nosso Pai. Outra coisa que devemos aprender é que as nossas orações todas devem ser dirigidas a Deus Pai em Nome de Jesus, e não diretamente a Ele, e também não podemos orar para o Espírito Santo, pois não foi assim que Jesus nos ensinou. “Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer. E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela Glória que tinha contigo antes que o mundo existisse.” (João 17:4-5). Jesus, falando com o Pai, lembra que Ele glorificou o Pai na terra com a sua obediência, fazendo tudo aquilo que Ele determinou, e que cumpriu tudo, inclusive sabe que está chegando a sua hora de sofrer na carne o que estava previsto. Pede a Deus Pai que o glorifique com a Glória que já tinha antes da fundação do mundo, isto é, Jesus era Deus e se destituiu do seu Poder para vir ao mundo para que pudéssemos ser resgatados. Jesus deixou a sua Glória e veio ao mundo na fraqueza da carne, como um ser humano comum, e assim sofrer em nosso lugar, para que pudéssemos ter a oportunidade de sermos salvos. Por isto temos esses esclarecimentos, porque Jesus, orando, nos revelou tudo, por tal motivo a necessidade de, sempre que orarmos, sermos claros em nossas orações. Não podemos nos esquecer dos ensinamentos de Paulo sobre o falar em línguas, pois, se estivermos falando em línguas, quem estiver próximo ouvindo nada entenderá ou aprenderá, temos como exemplo Jesus, não soubemos de Ele em público orar nenhuma vez em línguas. “Manifestei o teu Nome aos homens que do mundo me deste; eram teus, e tu mos deste, e guardaram a tua Palavra. Agora já têm conhecido que tudo quanto me deste provém de ti; Porque lhes dei as palavras que tu me deste; e eles as receberam, e têm verdadeiramente conhecido que saí de ti, e creram que me enviaste.”(João 17:6-8). Jesus, então, continuando a orar, fala com o Pai, explica que apresentou o Senhor às pessoas, que aceitaram a sua Palavra, o seu Evangelho, porque as pessoas que realmente aceitam Jesus de coração são aquelas trazidas por Deus Pai. Permaneceram fiéis à Palavra de Deus porque eram homens de Deus, e Jesus cuidou deles, e nenhum deles se perdeu, somente Judas Iscariotes, pois para esse fim ele veio. Os discípulos de Deus Pai, os de Deus, permaneceram fiéis e compreenderam que Jesus era o Filho de Deus. “Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. E todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e neles sou glorificado. E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai Santo, guarda em teu Nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós.” (João 17:9-11).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe. Um abraço, Pr. Henrique Lino

Se você está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br – O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.

0 visualização

©2020 por Ministério Atalaia do Evangelho de Deus.

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • Instagram