top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Purifiquemo-nos



“Ora, amados, visto que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus. Recebei-nos em vossos corações; a ninguém fizemos injustiça, a ninguém corrompemos, a ninguém exploramos. Não o digo para vos condenar, pois já tenho declarado que estais em nossos corações para juntos morrermos e juntos vivermos.” (2 Coríntios 7:1-3)

Temos a Promessa do Senhor de termos, de desfrutarmos de vida eterna Nele. Sabendo isso, não justifica ficarmos na sujeira, nos erros e pecados, porque, quando comparamos o que nos aguarda, que é desfrutar de uma vida abundante Nele, não podemos ceder às vontades da nossa carne e cometer erros, pois também sabemos que a sua Promessa para os rebeldes, desobedientes e pecadores é sofrimento e morte eterna. Temos que compreender que também é uma Promessa do Senhor enviar para o sofrimento e morte eterna todos os que viverem aqui de maneira contrária a sua Palavra, portanto, se tivermos um mínimo de sabedoria, sabemos que temos que fugir de todos os pecados, para que possamos lutar para alcançar a Promessa do Senhor e desfrutar de vida eterna Nele, e não permitir que a Promessa Dele de sofrimento e morte venha se cumprir em nós. Devemos procurar viver em santidade todo o tempo; enquanto estivermos aqui, devemos andar em constante vigilância, para não pecarmos, não errarmos, e sempre verificar se estamos realmente andando em obediência, por mais que isso nos canse. Devemos saber que, se vencermos, teremos toda a eternidade para descansar, ao contrário de vivermos folgadamente aqui, nesse caso, teremos toda a eternidade para sofrermos e nos lamentarmos. Por isto andamos, vivemos na contramão do mundo, porque não prejudicamos ninguém, não furtamos, nem adulteramos e nem vivemos como o mundo em total desespero para conseguir poder material financeiro, porque dependemos do Senhor. O que o mundo considera vitória, prosperidade nós consideramos como lixo, uma vez que sabemos que nada podemos transportar daqui a não ser a maneira como vivemos, como nos portamos aqui diante do Evangelho do Senhor, por isto somos diferentes, temos que ser como lâmpadas, temos que fazer a diferença.

“Grande é a minha franqueza para convosco, e muito me glorio a respeito de vós; estou cheio de consolação, transbordo de gozo em todas as nossas tribulações. Porque, mesmo quando chegamos à Macedônia, a nossa carne não teve repouso algum; antes em tudo fomos atribulados: por fora combates, temores por dentro. Mas Deus, que consola os abatidos, nos consolou com a vinda de Tito; e não somente com a sua vinda, mas também pela consolação com que foi consolado a vosso respeito, enquanto nos referia as vossas saudações, o vosso pranto, o vosso zelo por mim, de modo que ainda mais me regozijei.” (2 Coríntios 7:4-7). Somos todos fracos, porque ainda estamos neste vaso de barro, portanto, as lutas, as batalhas, as aflições são normais em nossas vidas. Mas devemos aprender a nos aperfeiçoar a buscar mais o Senhor nas fraquezas, porque, como cristãos que somos, sabemos que o nosso Mestre sofreu muito mais por nós, e se estivermos sofrendo por viver o Evangelho, então devemos nos gloriar porque estamos caminhando, trilhando o caminho certo. Não podemos esperar recompensa, ou reconhecimento aqui neste mundo, porque, se estivermos agradando o mundo, estamos desagradando a Deus. Não podemos fugir das nossas aflições, e sim, ao contrário, nos fortalecer cada vez mais, e sempre todo o tempo nos examinar se realmente estamos vivendo no Senhor. Faço questão de lembrar sempre que viver no Senhor não é estar orando ou lendo a Bíblia, nem indo a templos todos os dias, é simplesmente viver no Evangelho, praticar o Novo Testamento, a Nova Aliança feita no Sangue de Jesus. Não importa o quanto erramos, pois, se nos arrependermos de verdade, sabemos que fomos perdoados, e podemos então viver de forma diferente olhando para a nossa Esperança. “Porquanto, ainda que vos contristei com a minha carta, não me arrependo; embora antes me tivesse arrependido (pois vejo que aquela carta vos contristou, ainda que por pouco tempo), agora folgo, não porque fostes contristados, mas porque o fostes para o arrependimento; pois segundo Deus fostes contristados, para que por nós não sofrêsseis dano em coisa alguma.” (2 Coríntios 7:8-9).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page