top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Obedientes ao Senhor



“É necessário gloriar-me, embora não convenha; mas passarei a visões e revelações do Senhor. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo não sei, se fora do corpo não sei; Deus o sabe) foi arrebatado até o terceiro céu.” (2 Coríntios 12:1-2)

Muitas pessoas evangélicas gostam de se gloriar por serem bonitas, se vestirem melhor, ou por terem mais dinheiro, bens materiais, tais como carros, casas, sítios e fazendas, e até aeronaves, além, é claro, de alguns pastores estarem cheios de orgulho pela quantidade de membros da sua denominação, ou pelo número de congregações. Mas eles não percebem que isso não é sinal de aprovação de conduta, que isso não é sinal de que o Senhor esteja gostando da maneira como eles vivem. Mesmo porque, se formos olhar por esse prisma, iremos pensar que Jesus Cristo, o Filho de Deus, estava sofrendo a ira de Deus, porque durante o tempo que aqui esteve não adquiriu nenhum bem material, e ainda foi preso e crucificado em nosso lugar. O que nenhum ser humano teve ou tem é a intimidade que Jesus tinha e tem com o Pai, isto sim que é motivo de orgulho, mas o fato de termos ou não termos, sermos ou não alguma coisa aqui nada vale. Vejo supostos pastores, teólogos, pessoas que fizeram cursos superiores, mestrado, doutorado, pós-doutorado, mas não têm intimidade com o Senhor, e quando ouvimos suas pregações e ensinos, sabemos que não conhecem o Pai, e muito menos o Filho, Jesus Cristo, e não têm o Espírito de Deus. Paulo estava vivendo uma situação semelhante, em que outras pessoas estavam galhardeando, dizendo ser isto ou aquilo, ou ter essa ou aquela condição, mas a sua resposta foi falar do conhecimento de Cristo, falar da sua intimidade com o Reino. Devemos aprender sempre que nós temos que ter orgulho é de estarmos vivendo a Palavra de Deus e de ter intimidades com o Senhor, e muitos diálogos e orações com o Pai. O fato de termos ou sermos alguma coisa aqui não é nada e nem quer dizer que estejamos na presença do Senhor, e muito menos que seja bênção Dele, porque, se assim fosse, as pessoas que vivem de maneira contrária a sua Palavra nada teriam e viveriam em total miséria. Mas não é assim, e mesmo porque este mundo pertence ao maligno, ao diabo, e é ele quem dá as coisas aos seus servos aqui.

“Sim, conheço o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei: Deus o sabe), que foi arrebatado ao paraíso, e ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir. Desse tal me gloriarei, mas de mim mesmo não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas.” (2 Coríntios 12:3-5). Paulo, assim como Jesus, gloriava no Senhor, e de igual modo devemos nos gloriar Nele, mas para isso é necessário nos submeter ao Senhor. Jesus se gloriava de conhecer o Pai, se gloriava e falava que o Pai sempre o ouvia, e dizia abertamente que Ele conhecia o Pai, e os religiosos não. Mas, principalmente, se gloriava de ser obediente ao Pai, e mostrou essa obediência até a morte, portanto, se queremos ser alguma coisa, temos que ser obedientes ao Senhor, devemos nos galhardear de obedecermos ao Senhor em tudo. O apóstolo Paulo tinha tanta intimidade com o Pai que este o levou aos céus, ao Paraíso em vida, e mostrou coisas que nenhum ser humano jamais viu, e principalmente falou com ele tantas maravilhas sobre as quais a nenhum ser humano é permitido ouvir. Mas isso não foi motivo para tornar Paulo mais culto, ou próspero, ao contrário, foi motivo para que recebesse uma dor, um sofrimento, um espinho na carne, para saber que ele não era nada, e que o Senhor é tudo em nossas vidas. Apesar de Paulo ter orado, pedido para tirar o sofrimento, Deus lhe respondeu dizendo que não o tiraria, mas que sua Graça era o bastante. Portanto, devemos sentir prazer nas lutas, se estivermos vivendo a Palavra de Deus. “Pois, se quiser gloriar-me, não serei insensato, porque direi a verdade; e, para que me não exaltasse demais pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de que eu não me exalte demais; acerca do qual três vezes roguei ao Senhor que o afastasse de mim; e Ele me disse: A minha Graça te basta, porque o meu Poder se aperfeiçoa na fraqueza. Por isso, de boa vontade antes me gloriarei nas minhas fraquezas, a fim de que repouse sobre mim o Poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco, então é que sou forte.” (2 Coríntios 12:6-10).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page