• Pr. Henrique Lino da Silva

Escrevendo de novo

“Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós. Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão; Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne.” (Filipenses 3:1-3)

O apóstolo Paulo nos ensina que devemos nos regozijar, nos alegrar no Senhor, e devemos fazer isso independentemente da nossa situação, de estarmos bem ou não, de estarmos passando por lutas ou não. Estando bem ou não, sempre devemos buscar motivos para nos alegrar no Senhor. Vemos que Paulo fala que não fica chateado de escrever as mesmas coisas várias vezes, ou repetidas vezes, isto porque ele estava comprometido em amar o próximo, e queria que todos conhecessem o nosso Senhor, o nosso Deus, para que se comportassem direito e assim pudessem ser salvos em Cristo Jesus. A nossa segurança está no Senhor, pois o nosso Deus é soberano e nada foge ao seu controle, estando Nele, sabemos que só nos acontece o que Ele permite. Temos recomendações, orientações de fugirmos dos falsos obreiros, dos hipócritas, dos mentirosos, dos que pregam heresias e mentiras, por tal motivo sempre vivo alertando todos a examinarem que tipo de templos estão frequentando, quem é a pessoa, quem é o pastor da congregação que frequentam, e o que ele está ensinando, pregando, se é o Evangelho ou outra coisa. Devemos observar se tudo o que é praticado nos templos está de acordo com o Evangelho de Jesus Cristo, porque, se não estiver, devemos nos afastar o mais rápido possível. Agindo assim como Paulo fala, nós, os que procuramos viver, praticar o Evangelho de Jesus Cristo, podemos falar que somos realmente cristãos, seguidores de Jesus, não por irmos muitas vezes a templos, e nem por lermos muito a Bíblia, mas pelo fato de sempre procurarmos viver em obediência aos seus preceitos. São muitos os que se dizem cristãos, que se dizem evangélicos, mas não passam de meros religiosos e hipócritas, pois falam, oram, rezam, cantam e dão ofertas, além de terem um boa frequência nas congregações, mas não na presença do Senhor, pois vivem em práticas carnais, vivem em erro, frequentam lugares onde sabem que acontecem erros, mas sempre encontram desculpas para permanecer nesses lugares. “Ainda que também podia confiar na carne; se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu: Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu; Segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.” (Filipenses 3:4-7). Paulo lembra que, se fosse pela carne, ou por uma demonstração de religiosidade, ele poderia ser um exemplo, porque ele sabemos que foi criado como fariseu, a mais dura religião, que dizia seguir os mandamentos entregues por Moisés. Foi doutrinado por Gamaliel, que era considerado uma das maiores autoridades religiosas do país, e Paulo seguiu todos os preceitos religiosos, e foi circuncidado no oitavo dia, como era exigido pela lei. Era um hebreu natural da tribo de Benjamim, uma tribo de Israel. Foi criado segundo os costumes dos fariseus, dos religiosos, foi um perseguidor da igreja, achando que estava fazendo o certo. Paulo, diante dos homens, era considerado um homem sério, comprometido com as coisas, mas o que o mundo – as pessoas – aplaudia não era o que o Senhor queria, prova tal que, quando Jesus apareceu para ele no caminho de Damasco, ele nem voltou para trás, seguiu e passou a seguir Jesus, e ele somente se orgulhava de ser um seguidor de Cristo. O que para ele e para o mundo era alguma coisa, para Cristo não era nada, por isso ele agora se alegra, se regozija no Senhor, e olha que vemos e sabemos os inúmeros problemas enfrentados por esse abnegado servo do Senhor. “E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, E seja achado Nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé; Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte; Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos.” (Filipenses 3:8-11). Assim também devemos proceder, devemos abandonar a nossa religião, as nossas práticas religiosas, e simplesmente aprender a nos render aos pés do Senhor sabendo que somente assim estaremos fazendo o que é certo e praticando a verdadeira religião. Não podemos nos preocupar em agradar a nossa carne, a nossa vontade, ou as pessoas, não podemos nos preocupar com a opinião das pessoas, mas viver em Cristo, e sempre nos analisando à luz do Evangelho. “Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus.” (Filipenses 3:12). Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe. Um abraço, Pr. Henrique Lino

Se você está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br – O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Paz