top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Vivermos o Evangelho



“Bem-aventurados sereis quando os homens vos odiarem, e quando vos expulsarem da sua companhia, e vos injuriarem, e rejeitarem o vosso nome como indigno, por causa do Filho do homem. Regozijai-vos nesse dia e exultai, porque eis que é grande o vosso galardão no céu; pois assim faziam os seus pais aos profetas. Mas ai de vós que sois ricos! porque já recebestes a vossa consolação. Ai de vós, os que agora estais fartos! porque tereis fome. Ai de vós, os que agora rides! porque vos lamentareis e chorareis. Ai de vós, quando todos os homens vos louvarem! porque assim faziam os seus pais aos falsos profetas.” (Lucas 6:22-26)

Quando passamos por privações, quando somos ofendidos, injuriados, ficamos tristes e até com raiva por acharmos que nada fizemos por merecer aquele tratamento. Mas Jesus nos ensina o contrário, Ele diz que todas as vezes que formos ofendidos, rejeitados, caluniados por vivermos o Evangelho, por praticarmos a Palavra de Deus, ou por difundirmos o seu Evangelho, devemos nos alegrar. Sim, exatamente por sermos humanos, quando somos feridos, sentimos dores, tristezas e choramos, mas o comportamento cristão não pode ser esse. Devemos, como Jesus disse, ficarmos felizes por sabermos que os nossos nomes estão escritos no Livro da Vida. Devemos imitar os apóstolos que, quando surrados, presos por pregarem o Evangelho, ou por operarem milagres em Nome de Jesus, ficavam alegres por saberem que eram dignos de sofrer por causa do Nome de Jesus. Temos que aprender que aqui não devemos ter privilégios e nem sermos ou querermos ser especiais, receber tratamentos diferenciados, por sermos cristãos, por pregarmos e vivermos a Palavra de Deus. Assim, não se assuste e não desanime, quando os seus parentes ficarem contra você por querer praticar o que é certo, por viver o que Jesus nos manda. Não se preocupe quando no trabalho, ou colégio, faculdade, no seu meio social, for excluído(a). Não devemos ser ofendidos nem feridos por sermos desonestos, mentirosos ou criminosos, pois assim estaremos fatalmente perdidos. Sofrer por causa do Evangelho, sofrer por Jesus é honroso para o cristão.

“Mas a vós que ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, bendizei aos que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam. Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, não lhe negues também a túnica. Dá a todo o que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho reclames. Assim como quereis que os homens vos façam, do mesmo modo lhes fazei vós também. Se amardes aos que vos amam, que mérito há nisso? Pois também os pecadores amam aos que os amam. E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que mérito há nisso? Também os pecadores fazem o mesmo. E se emprestardes àqueles de quem esperais receber, que mérito há nisso? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para receberem outro tanto. Amai, porém a vossos inimigos, fazei bem e emprestai, nunca desanimado; e grande será a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo; porque Ele é benigno até para com os ingratos e maus.” (Lucas 6:27-35). O Senhor agora manda amarmos os nossos inimigos, mas devemos primeiro analisar que o cristão legítimo não tem e não pode ver ninguém como inimigo, pois sabe que a nossa luta não é contra o ser humano, mas contra os espíritos enganadores e desviados. Portanto, existem pessoas que nos consideram inimigas, mas nós não podemos vê-las como inimigas, assim, o que devemos fazer em primeiro lugar é orar por elas para que sejam libertas, e o adversário, que são os demônios, as libertem, e então elas verão que você não é inimigo. Com referência à pessoa, devemos amar, e sabemos que não é fácil, pois amar é uma decisão, e amar alguém que vemos nos desejando o mal, que vive tentando nos prejudicar não é fácil. Mas Jesus nos manda amar, portanto, Ele não fará com que venhamos a ter amor por essa pessoa, não fará despertar de uma hora para outra amor por aquela pessoa que nos deseja o mal. Somos nós que devemos nos obrigar a amar, temos que lutar contra nós mesmos, nossos sentimentos, e decidirmos amar, mesmo que o mundo todo, que os nossos amigos, nossos parentes não concordem, mas devemos simplesmente obedecer a Cristo. Quando a pessoa erra e vem até nós pedindo perdão, devemos perdoar, independentemente de quantas vezes ela errar, mas se todas vierem até você e pedirem perdão, devemos perdoar. O fato de perdoarmos, de amarmos não quer dizer que temos que necessariamente estar com elas ao nosso lado, pois, se sabemos que é uma pessoa contumaz que irá errar de novo, é melhor mantermos distância. Mas nunca odiar, e sim amar. “Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso. Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados. Daí, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos deitarão no regaço; porque com a mesma medida com que medires, vos medirão a vós. E propôs-lhes também uma parábola: Pode porventura um cego guiar outro cego? Não cairão ambos no barranco? Não é o discípulo mais do que o seu mestre; mas todo o que for bem instruído será como o seu mestre.” (Lucas 6:36-40).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page