top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Sacrifício Vivo



Pedimos perdão aos irmãos pelo envio equivocado do e-mail pela manhã como o mesmo assunto anterior, segue o texto correto: Sacrifício Vivo

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Porque pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não tenha de si mesmo mais alto conceito do que convém; mas que pense de si sobriamente, conforme a medida da fé que Deus, repartiu a cada um. Pois assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma função, assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e individualmente uns dos outros.” (Romanos 12:1-5) Todos nós que nos identificamos como crentes, como homens e mulheres de Deus, temos que entender que, para praticar o Evangelho de Jesus Cristo, devemos abandonar as religiões, os rituais, e virmos para o Senhor. Jesus já nos disse que aquele que pega no arado e olha para trás não é digno Dele. Portanto, temos que entender que ser cristão nos imputa muitos sacrifícios e tribulações aqui neste mundo que já está morto no diabo. Temos que saber que nossas ações, falas, pensamentos têm que estar de acordo com a Palavra de Deus, não podemos nos preocupar em agradar as pessoas, e sim exclusivamente a Deus. Por isto, nossos corpos têm que ser um lugar de adoração constante ao Senhor, de culto a Deus todo o tempo, não podemos nos conformar com esses evangelhos pregados e ensinados por aí, evangelhos do amor, da prosperidade, Mas apresentemos o Evangelho de Jesus Cristo. Exatamente por andarmos, vivermos na contramão do mundo é que somos criticados, perseguidos, injuriados, mas não nos importamos, pois sabemos que a nossa vitória está em Cristo e não neste mundo, assim não buscamos recompensas aqui. Temos que nos transformar em pequenos cristos, para que possamos compreender a boa e perfeita vontade de Deus, compreender a sua Promessa que é vida, mas não aqui, uma vez que aqui é lugar de morte, uma vez que, como citamos anteriormente, já está morto. Com a renovação da nossa mente, compreendemos e aceitamos as tribulações que nos sobrevêm, pois sabemos que são esperadas, assim como também sabemos que a Vida nos aguarda. Afinal, temos toda a eternidade para desfrutar da vida. “De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com zelo; o que usa de misericórdia, com alegria. O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros; não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor; alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade; abençoai aos que vos perseguem; abençoai, e não amaldiçoeis; alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram; sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altivas mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios aos vossos olhos; a ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas dignas, perante todos os homens.”(Romanos 12:6-17). Sendo cristãos, sendo pessoas realmente convertidas a Cristo, e não a uma religião, a uma denominação, sabemos que todos nós somos capacitados com dons que o Senhor nos dá para exercer o ministério que outorgou. Mas nós é que temos que nos examinar e descobrir qual é o nosso dom, em qual área o Senhor nos capacitou, onde devemos atuar com mais intensidade. Não é ficar orando pedindo este ou aquele dom, e sim se examinar e descobrir, pois também não podemos forçar a barra tentando fazer algo por acharmos que devemos, pois, se o Senhor não nos capacitou, não conseguiremos fazer nada direito. Se descobrirmos que o nosso dom é pregar, então que façamos com esmero, que preguemos, ensinemos a Bíblia, o Evangelho, e não outra coisa. Se é profecia, então sejamos verdadeiros e não mentirosos, não criamos nada, não acrescentamos nada, somente podemos revelar o que o Senhor nos falar, mostrar de maneira clara, para não sermos achados na mentira e assim padecer por toda a eternidade. Se o nosso dom é servir, ajudar, socorrer, ou ajudar financeiramente o ministério, ou intercessão, que sempre façamos da melhor maneira possível, pois o Senhor nos capacitou, nos proveu dons para usarmos, e não para guardarmos. Jesus contou várias parábolas sobre não exercermos o que fomos capacitados, pois assim o pouco que teremos será tirado. “Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens. Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas daí lugar à ira de Deus, porque está escrito: Minha é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor. Antes, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.” (Romanos 12:18-21). Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe. Um abraço, Pr. Henrique Lino

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page