top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Pedindo a morte



“Mas eles instavam com grandes brados, pedindo que fosse crucificado. E prevaleceram os seus clamores. Então Pilatos resolveu atender-lhes o pedido; e soltou-lhes o que fora lançado na prisão por causa de sedição e de homicídio, que era o que eles pediam; mas entregou Jesus à vontade deles. Quando o levaram dali tomaram um certo Simão, cireneu, que vinha do campo, e puseram-lhe a cruz às costas, para que a levasse após Jesus. Seguia-o grande multidão de povo e de mulheres, as quais o pranteavam e lamentavam. Jesus, porém, voltando-se para elas, disse: Filhas de Jerusalém, não choreis por mim; chorai antes por vós mesmas, e por vossos filhos. Porque dias hão de vir em que se dirá: Bem-aventuradas as estéreis, e os ventres que não geraram, e os peitos que não amamentaram! Então começarão a dizer aos montes: Caí sobre nós; e aos outeiros: Cobri-nos. Porque, se isto se faz no lenho verde, que se fará no seco?” (Lucas 23:23-31)

       O povo pedia, gritava pedindo a morte de Jesus e que fosse solto um bandido, um homicida, e Pilatos, não tendo outra alternativa, foi obrigado a entregar Jesus para ser crucificado e mandou soltar o bandido. As pessoas, quando comentam esse trecho, falam e condenam as atitudes dessas pessoas na época, só que elas mesmas hoje fazem pior, porque estão banindo Jesus Cristo das suas congregações, de suas denominações, das suas casas e, principalmente, das suas vidas. Assim como os israelitas, os judeus da época falavam que amavam Deus e que lhe obedeciam, mas pediam a morte do seu Filho. Eles também  lotam templos denominacionais cantando e  dizendo que Jesus é bom, que Deus é maravilhoso, mas continuam nas mentiras, nas desonestidades, nos adultérios, nas fofocas, nos comércios nos templos, nos shows gospel, nas campanhas, nas fogueiras santas, nos votos e adorando objetos. Portanto, estão expulsando Jesus e  buscando para si  o homicida, o bandido que é o diabo, pois querem e desejam fazer a vontade dele, não querem se submeter a Cristo, não querem salvação, o que buscam é prazer e diversão, é a satisfação dos seus desejos carnais, querem  a libertinagem que o diabo oferece, e a Jesus continuam dizendo: crucifica-o, crucifica-o, crucifica-o.

         “E levavam também com Ele outros dois, que eram malfeitores, para serem mortos. Quando chegaram ao lugar chamado Caveira, ali o crucificaram, a Ele e também aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda. Jesus, porém, dizia: Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem. Então repartiram as vestes Dele, deitando sortes sobre elas. E o povo estava ali a olhar. E as próprias autoridades zombavam Dele, dizendo: Aos outros salvou; salve-se a si mesmo, se é o Cristo, o escolhido de Deus. Os soldados também o escarneciam, chegando-se a Ele, oferecendo-lhe vinagre, e dizendo: Se tu és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo. Por cima Dele estava esta inscrição [em letras gregas, romanas e hebraicas:] ESTE É O REI DOS JUDEUS. Então um dos malfeitores que estavam pendurados, blasfemava Dele, dizendo: Não és tu o Cristo? salva-te a ti mesmo e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando na mesma condenação?” (Lucas 23:32-40). Levaram Jesus para ser crucificado, depois de o terem surrado, terem debochado Dele, terem colocado uma coroa de espinhos sobre a sua cabeça. O povão, a massa humana seguia de perto, e não soubemos de ninguém levantar a voz para o defender, para pelo menos dizer não faça isto, pois está errado. Todos desejavam a morte de Jesus, e os que não desejavam eram covardes, medrosos e tinham medo de abrir a boca. Mas a Palavra de Deus fala que nem os covardes, nem os medrosos, tímidos herdarão o Reino de Deus. Não soubemos de uma só pessoa que Jesus tivesse curado, liberto ou saciado a fome nas multiplicações de pães e peixes e que agora o defendesse, todos a uma só voz só pediram a sua crucificação e a sua morte. E o tempo todo tentaram acusar Jesus como se fosse um bandido, pois fizeram questão de o crucificar entre dois ladrões, dando a entender que eram todos iguais. Pessoas duras de corações insensíveis, pois, mesmo Jesus já crucificado, sofrendo horrores ali na cruz do Calvário, eles estavam ainda fazendo chacotas e rindo Dele. Não sabiam com quem estavam brincando, pois estavam rindo do Filho de Deus, na verdade do próprio Deus, portanto sabemos que essas pessoas não tiveram salvação e nem os perseguidores atuais de Jesus o terão. “E nós, na verdade, com justiça; porque recebemos o que os nossos feitos merecem; mas este nenhum mal fez. Então disse: Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino. Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso. Era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até a hora nona, pois o sol se escurecera; e rasgou-se ao meio o véu do santuário. Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou. Quando o centurião viu o que acontecera, deu glória a Deus, dizendo: Na verdade, este homem era justo. E todas as multidões que presenciaram este espetáculo, vendo o que havia acontecido, voltaram batendo no peito. Entretanto, todos os conhecidos de Jesus, e as mulheres que o haviam seguido desde a Galiléia, estavam de longe vendo estas coisas.” (Lucas 23:41-49).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page