• Pr. Henrique Lino da Silva

Morrer para reviver

“Estava, porém, enfermo um certo Lázaro, de Betânia, aldeia de Maria e de sua irmã Marta. E Maria era aquela que tinha ungido o Senhor com unguento, e lhe tinha enxugado os pés com os seus cabelos, cujo irmão Lázaro estava enfermo. Mandaram-lhe, pois, suas irmãs dizer: Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas.” (João 11:1-3)

Lázaro de Betânia, irmão de Marta e Maria, ficou enfermo, e sabemos que foi uma enfermidade muita séria, que acabou levando-o à morte. Essa família era amiga de Jesus. Ele sempre que ia a Betânia se hospedava na casa deles e parava para fazer as suas refeições na companhia deles. Sabemos da história de quando Maria ungiu Jesus e enxugou os seus pés com os cabelos, portanto, não eram somente conhecidos de Jesus, eram amigos, por isso, quando Lázaro ficou doente, as irmãs mandaram avisar Jesus sobre a enfermidade do seu irmão. Até aqui nada anormal, pois, quando temos um enfermo, geralmente mandamos avisar todos os parentes e amigos, e foi o que aconteceu aqui. Mas também elas conheciam Jesus e acreditavam Nele, sabiam do seu Poder, por isto a esperança de que Ele abandonasse tudo e fosse correndo curar o irmão delas. Essas irmãs já tinham presenciado e ouvido sobre muitos milagres e sinais que Jesus fazia, então elas esperavam que, por gostar deles, do seu irmão, com certeza Ele iria o mais breve possível e o curaria. Mas elas não tinham pleno conhecimento de que a maneira do Senhor agir não é a mesma que a nossa. Geralmente, quando estamos em alguma dificuldade, com algum problema, vamos direto ao Senhor, oramos, clamamos, fazemos jejuns, pedimos orações, fazemos campanhas e tudo mais, e muitas vezes não vemos respostas, não vemos solução de imediato, ou há situações em que não vemos solução nem a médio ou longo prazo, digo solução do jeito que queremos e esperamos. Se estamos enfermos ou com alguém enfermo, não queremos aceitar nada menos do que a cura definitiva, ou se estamos no meio de uma guerra, queremos a vitória, mas não meditamos na Palavra de Deus porque pode ser que o Senhor não queira a cura, a solução do problema como desejamos, e temos que saber que Ele não existe para nos agradar, que Ele vive e age pela sua Palavra. “E Jesus, ouvindo isto, disse: Esta enfermidade não é para morte, mas para Glória de Deus, para que o Filho de Deus seja Glorificado por ela. Ora, Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro.” (João 11:4-5). Observamos que Jesus, ao receber o recado, Ele não se preocupou e de maneira nenhuma se desesperou e saiu correndo para curar o seu amigo. Ele simplesmente disse que a enfermidade não era para a morte, mas para que Ele fosse Glorificado por ela. Jesus está dizendo que o que acontecer com Lázaro, ou o que está acontecendo é simplesmente para a Glória Dele. Por isso, muitas vezes, quando estivermos passando por lutas, vamos aprender a Glorificar o Nome do Senhor (que é Santo para sempre Amém), porque tudo é para a sua Glória. São várias as maneiras como glorificamos o Senhor, muitas delas com os nossos sofrimentos e até a nossa morte física. Às vezes é necessário morrermos para não perdermos a salvação. Não podemos esquecer que Jesus age assim não por raiva ou ira Dele por nós, na verdade é por amor, veja que Ele amava os irmãos. Todos nós temos que aprender a glorificar mais o Senhor e reclamar menos, pedir menos, porque são muitos os que pensam que Deus tem a obrigação de solucionar os problemas pelos quais eles estiverem passando se forem religiosos. Assim, em tudo sabemos que está o Senhor no comando. Mesmo que estejamos sofrendo, sabemos que nada foge ao controle do Senhor, às vezes é preciso morrer para podermos viver. “Ouvindo, pois, que estava enfermo, ficou ainda dois dias no lugar onde estava. Depois disto, disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judéia. Disseram-lhe os discípulos: Rabi, ainda agora os judeus procuravam apedrejar-te, e tornas para lá?” (João 11:6-8). Jesus, quando ficou sabendo da notícia da enfermidade de Lázaro, quando recebeu o recado, Ele não se apressou a sair correndo para ir salvá-lo, ainda ficou dois dias a mais onde estava. Quando analisamos essa passagem, ficamos imaginamos o porquê de Jesus não ter ido logo curar o seu amigo, mas, como disse, não entendemos com perfeição como o Senhor age. Depois de dois dias Ele resolve ir para Betânia, resolve ir ao encontro dessa família. Por esse motivo, temos que aprender a simplesmente entregar os problemas nas mãos do Senhor e não ficarmos tentando dar ordens a Ele, exigir que se apresse, pois nada sabemos, somos simplesmente servos, Ele que é o Senhor. Tudo acontecerá de acordo com a sua vontade, temos que aprender a orar com Ele, que, orando ao Pai, disse: “que seja feita a sua vontade, mas não a minha”. Jesus disse: “Não há doze horas no dia? Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; Mas, se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz”. Assim falou e depois disse-lhes: “Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono.” (João 11:9-11). Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe. Um abraço, Pr. Henrique, Lino

Se você está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br – O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.

0 visualização

©2020 por Ministério Atalaia do Evangelho de Deus.

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • Instagram