top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Filhos de Deus



“Vede que grande amor nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus; e nós o somos. Por isso o mundo não nos conhece; porque não conheceu a Ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele; porque assim como é, o veremos. E todo o que Nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como Ele é puro. Todo aquele que vive habitualmente no pecado também vive na rebeldia, pois o pecado é rebeldia. E bem sabeis que Ele se manifestou para tirar os pecados; e Nele não há pecado. Todo o que permanece Nele não vive pecando; todo o que vive pecando não o viu nem o conhece. Filhinhos, ninguém vos engane; quem pratica a justiça é justo, assim como Ele é justo; quem comete pecado é do Diabo; porque o Diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo. Aquele que é nascido de Deus não peca habitualmente; porque a semente de Deus permanece Nele, e não pode continuar no pecado, porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do Diabo: quem não pratica a justiça não é de Deus, nem o que não ama a seu irmão.” (1 João 3:1-10)

O maior privilégio que podemos ter é sermos chamados de filhos de Deus, pois sermos filhos da maior autoridade, do Maior Poder que há no mundo, isso nos enche de orgulho. Mas sabemos que sermos chamados de filhos não é simplesmente porque o chamamos de Pai, e sim por vivermos em obediência a sua Palavra, pois quem não lhe obedece, por mais que grite que é filho de Deus, não o é. Exatamente por esse motivo que o mundo, as pessoas não nos entendem e nos julgam fanáticos, doidos, e outras coisas, mas não temos a preocupação de sermos conhecidos do mundo, e sim do Senhor, que Ele nos reconheça como filhos. Todos os que sabem realmente quem é o Senhor e que aguardam pela sua volta, sabendo que, quando Ele voltar para nos buscar, seremos semelhantes a Ele, fazem questão de viver em santidade para que não venham a perder a sua salvação. Uma vez que nos submetemos a Ele agora, depois o veremos com os nossos olhos e saberemos como Ele é. Estaremos em sua companhia por toda a eternidade, e assim viveremos pela eternidade debaixo da maior proteção. Mas, se não lhe obedecermos aqui, se vivermos em rebeldia a sua Palavra, então não somos filhos Dele, mas do diabo, e nós seremos enviados para a prisão juntamente com satanás, para que soframos por toda a eternidade.

“Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio, que nos amemos uns aos outros, não sendo como Caim, que era do Maligno, e matou a seu irmão. E por que o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas. Meus irmãos, não vos admireis se o mundo vos odeia. Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte. Todo o que odeia a seu irmão é homicida; e vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele. Nisto conhecemos o Amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos. Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitando, lhe fechar o seu coração, como permanece nele o amor de Deus?” (1 João 3-11-17) Se amamos Deus, então lhe obedecemos, pois a única maneira de demonstrarmos o nosso amor para com o Senhor é pela nossa obediência aos seus preceitos, porque declararmos que o amamos, ou cantarmos músicas que expressam isso nada quer dizer se não vivermos em santificação, em obediência, se não estivermos amando o próximo como a nós mesmos. Não podemos ver as pessoas padecendo e nos omitirmos, devemos nos preocupar com o próximo assim como nos preocupamos com nós mesmos. Assim como procuramos viver em santidade, devemos ensinar às pessoas da mesma maneira, e jamais concordar com o pecado, pois concordância e aceitação do pecado nas pessoas não é amor nem tolerância, é ódio. Se conhecemos o Amor de Deus, entendemos e compreendemos que por amor Ele enviou o seu único Filho para sofrer e morrer por nós, para nos livrar do pecado, e temos que entender que, apesar de enviar o seu Filho para passar por esse tão grande sofrimento, Ele não estava punindo Jesus nem estava com raiva, irado com Ele, ao contrário, estava amando-o, e por tal motivo lhe deu o lugar de mais alta honra. O amor de Deus não é essa coisa melosa, esse sentimento humano, terreno, em que as pessoas falam, mas agem como inimigas. Portanto, devemos sempre buscar conhecer mais o Senhor, para que possamos viver segundo a sua vontade e então assim sermos chamados de filhos Dele. “Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obras e em verdade. Nisto conheceremos que somos da Verdade, e diante Dele tranquilizaremos o nosso coração; porque se o coração nos condena, maior é Deus do que o nosso coração, e conhece todas as coisas. Amados, se o coração não nos condena, temos confiança para com Deus; e qualquer coisa que lhe pedirmos, Dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos o que é agradável à sua vista. Ora, o seu mandamento é este, que creiamos no Nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, como Ele nos ordenou. Quem guarda os seus mandamentos, em Deus permanece e Deus nele. E nisto conhecemos que Ele permanece em nós: pelo Espírito que nos tem dado.” (1 João 3:18-24).

Leiam e pratiquem a Bíblia, mais especificamente o Novo Testamento.

Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page