top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Estamos no Evangelho?



“Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, segundo a Promessa da vida que está em Cristo Jesus, a Timóteo, amado filho: Graça, misericórdia e paz da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus nosso Senhor. Dou graças a Deus, a quem desde os meus antepassados sirvo com uma consciência pura, de que sem cessar faço menção de ti em minhas súplicas de noite e de dia; e, recordando-me das tuas lágrimas, desejo muito ver-te, para me encher de gozo; trazendo à memória a fé não fingida que há em ti, a qual habitou primeiro em tua avó Loide, e em tua mãe Eunice e estou certo de que também habita em ti. Por esta razão te lembro que despertes o Dom de Deus, que há em ti pela imposição das minhas mãos. Porque Deus não nos deu o espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.” (2 Timóteo 1:1-7)

Devemos sempre analisar o porquê e para que estamos no Evangelho, e se é que estamos, será que estamos praticando-o como deveríamos? Ou somente estamos fazendo algo por vício? Sempre podemos olhar para trás e ver como viemos para o Evangelho, qual foi o motivo, analisarmos a nossa fé, pois durante a nossa caminhada às vezes vamos nos permitindo sucumbir diante das lutas, e, sem percebermos, nos afastamos do Senhor e nos transformamos em simples religiosos. Mas temos que compreender que Jesus, o Evangelho, sempre deixou claro que teríamos lutas, que enfrentaríamos todos os tipos de problemas, por isso não podemos nos assustar quando eles surgem, ou se só vivemos em constantes lutas, isto não quer dizer que estejamos em pecado, muito pelo contrário. E também não podemos nos cansar e querer voltar à antiga vida de pecado e sem compromisso com nada, pois os descompromissados com certeza irão padecer com muito mais sofrimento, e por toda a eternidade. O apóstolo Paulo sempre teve uma preocupação como pai da fé de Timóteo, sempre levando ânimo para que ele não esmorecesse. Assim devemos agir com todos, pois muitos, diante das lutas, ficam imaginando a possibilidade de desistir de seguir o Caminho do Senhor. Diante das lutas e do desespero, não pensam que estão optando por morrer, sofrer por toda a eternidade, por isto sempre levamos uma mensagem para que as pessoas reflitam e assim possam permanecer firmes até o grande dia.

“Portanto não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa comigo dos sofrimentos do Evangelho segundo o Poder de Deus, que nos salvou, e chamou com uma santa vocação, não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e a Graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos eternos, e que agora se manifestou pelo aparecimento de nosso Salvador Cristo Jesus, o qual destruiu a morte, e trouxe à luz a vida e a imortalidade pelo Evangelho, do qual fui constituído pregador, apóstolo e mestre. Por esta razão sofro também estas coisas, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que Ele é Poderoso para guardar o meu depósito até aquele dia.” (Timóteo 1:8-12). Não podemos nos envergonhar do Evangelho, de sermos crentes, ao contrário, devemos mostrar ao mundo Jesus através das nossas vidas, do nosso comportamento, da nossa alegria. Se temos Jesus, somos diferentes, somos pessoas corajosas, firmes e não nos assustamos com nada, principalmente não vivemos reclamando de nada, pois já recebemos o maior presente, que foi Jesus, portanto, todo o resto é lucro. Não estamos buscando conforto ou luxo aqui, buscamos viver em conformidade com a Palavra do Senhor para não perdermos a coroa que nos está proposta. Portanto, se há um irmão passando por lutas, vamos orar, interceder por ele e procurar ajudar de acordo com as nossas possibilidades, sabendo que somos todos irmãos, filhos do mesmo Pai, e pertencemos ao mesmo corpo. Por isto temos que tomar muito cuidado antes de chamar alguém de irmão, pois é necessário que ele também esteja andando, vivendo segundo a Palavra do Senhor, pois o Corpo de Cristo é Santo e puro, e Nele não existe nenhuma enfermidade. Não podemos nos esquecer de sermos a todo o tempo e lugar imitadores de Cristo, não nos esquecermos do Sacrifício da Cruz, portanto, se somos imitadores de Cristo em sofrimento, as batalhas em nossas vidas têm que ser normais, não temos que lamentar ou reclamar, mas glorificar o Nome do Senhor. “Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido na fé e no amor que há em Cristo Jesus; guarda o bom depósito com o auxílio do Espírito Santo, que habita em nós. Bem sabes isto, que me abandonaram todos os que estão na Ásia, entre eles Fígelo e Hermógenes. O Senhor conceda misericórdia à casa de Onesíforo, porque muitas vezes ele me recreou, e não se envergonhou das minhas cadeias; antes quando veio a Roma, diligentemente me procurou e me achou. O Senhor lhe conceda que naquele dia ache misericórdia diante do Senhor. E quantos serviços prestou em Éfeso melhor o sabes tu.” (2 Timoteo 1:13-18).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page