top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Agradar a Cristo



“Depois, passados quatorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo a Tito. E subi devido a uma revelação, e lhes expus o Evangelho que prego entre os gentios, mas em particular aos que eram de destaque, para que de algum modo não estivesse correndo ou não tivesse corrido em vão. Mas nem mesmo Tito, que estava comigo, embora sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se; e isto por causa dos falsos irmãos intrusos, os quais furtivamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos escravizar; aos quais nem ainda por uma hora cedemos em sujeição, para que a Verdade do Evangelho permanecesse entre vós. Ora, daqueles que pareciam ser alguma coisa (quais outrora tenham sido, nada me importa; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me acrescentaram; antes, pelo contrário, quando viram que o Evangelho da incircuncisão me fora confiado, como a Pedro o da circuncisão (porque aquele que operou a favor de Pedro para o apostolado da circuncisão, operou também a meu favor para com os gentios), e quando conheceram a graça que me fora dada, Tiago, Cefas e João, que pareciam ser as colunas, deram a mim e a Barnabé as destras de comunhão, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão; recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres; o que também procurei fazer com diligência.” (Gálatas 2:1-10)

       Muitas vezes nos preocupamos em parecer a todos que somos seres espirituais e que vivemos em completa comunhão com o Senhor. Mas só pelo fato de estarmos preocupados em nos mostrar para as pessoas já estamos errando, já estamos demonstrando a nossa carnalidade, pois a nossa preocupação tem que ser agradar a Cristo. Não importa o que as pessoas pensam ou deixam de pensar a nosso respeito, o que importa é o que Cristo pensa, ou melhor, como nos olha. Em um mundo religioso, que era dominado pelos judeus, Paulo não tinha a preocupação de mostrar ou demonstrar que era praticante da lei, mas, ao contrário, apresentava o Evangelho de Jesus Cristo e a liberdade que há Nele. Não é pelo fato de sermos seguidores de Cristo que temos que ser todos iguais, fazermos todos as mesmas coisas, porque o Senhor nos capacita, nos treina e nos envia para diversos setores e áreas. O Senhor nos capacita com dons de acordo com a sua vontade para exercermos a sua obra, para pregarmos e ensinarmos e sermos testemunhas do seu Evangelho. Assim como Ele capacitou Pedro para pregar para os religiosos, os circuncisos, também capacitou Paulo para pregar para os incircuncisos, os gentios. Mas todo tempo não podemos jamais nos esquecer dos necessitados, dos desvalidos, e sempre procurarmos ajudar, socorrer, pois isso é demonstrar o amor de Deus.

         “Quando, porém, Cefas veio a Antioquia, resisti-lhe na cara, porque era repreensível. Pois antes de chegarem alguns da parte de Tiago, ele comia com os gentios; mas quando eles chegaram, se foi retirando e se apartava deles, temendo os que eram da circuncisão. E os outros judeus também dissimularam com ele, de modo que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação. Mas, quando vi que não andavam retamente conforme a Verdade do Evangelho, disse a Cefas perante todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como os judeus, como é que obrigas os gentios a viverem como judeus? Nós, judeus por natureza e não pecadores dentre os gentios, sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, mas sim, pela fé em Cristo Jesus, temos também crido em Cristo Jesus para sermos justificados pela fé em Cristo, e não por obras da lei; pois por obras da lei nenhuma carne será justificada.” (Gálatas 2:11-16). Nunca podemos agir com hipocrisia, que por sinal foi o que Jesus mais combateu, os hipócritas, porque nós temos que ser autênticos e nos comportar de acordo com o que falamos; se vivemos pela fé, devemos mostrar isso. Pedro agiu de maneira errada e com o seu erro influenciou muitos, mas foi chamado a atenção por Paulo. Da mesma maneira, devemos agir ao vermos as pessoas ao nosso lado agirem com hipocrisia; devemos chamar-lhes a atenção e sempre lhes mostrar a Verdade do Evangelho de Jesus Cristo. Temos que saber que o Evangelho não é para covardes, para medrosos, porque, se estivermos com medo de não agradarmos todos, ou de sermos perseguidos, com certeza não seguiremos Jesus. A todo o tempo as pessoas têm que ver e saber que não somos religiosos, não somos praticantes de rituais, ou de doutrinas de homens, e sim praticantes do Evangelho de Jesus Cristo. “Mas se, procurando ser justificados em Cristo, fomos nós mesmos também achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De modo nenhum. Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor. Pois eu pela lei morri para a lei, a fim de viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Não faço nula a graça de Deus; porque, se a justiça vem mediante a lei, logo Cristo morreu em vão.” (Gálatas 2:17-21).

 Leiam e pratiquem a Bíblia, mais especificamente o Novo Testamento.

 Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino

 

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Imitadores

Comentários


bottom of page