top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Vive na Graça



“Dizia Jesus também aos seus discípulos: Havia certo homem rico, que tinha um mordomo; e este foi acusado perante ele de estar dissipando os seus bens. Chamou-o, então, e lhe disse: Que é isso que ouço dizer de ti? Presta contas da tua mordomia; porque já não podes mais ser meu mordomo. Disse, pois, o mordomo consigo: Que hei de fazer, já que, o meu senhor, me tira a mordomia? Para cavar, não tenho forças; de mendigar, tenho vergonha. Agora sei o que vou fazer, para que, quando for desapossado da mordomia, me recebam em suas casas. E chamando a si cada um dos devedores do seu senhor, perguntou ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor? Respondeu ele: Cem cados de azeite. Disse-lhe então: Toma a tua conta, senta-te depressa e escreve cinquenta. Perguntou depois a outro: E tu, quanto deves? Respondeu ele: Cem coros de trigo. E disse-lhe: Toma a tua conta e escreve oitenta. E louvou aquele senhor ao injusto mordomo por haver procedido com sagacidade; porque os filhos deste mundo são mais sagazes para com a sua geração do que os filhos da luz. Eu vos digo ainda: Granjeai amigos por meio das riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos.” (Lucas 16:1-9)

Nessa parábola, Jesus exalta o mordomo infiel, injusto, ou melhor, desonesto, pois, ao ver que perdeu seu emprego e que não teria mais como se sustentar, ele conseguiu dar um jeito para que as pessoas ficassem devendo favores a ele e então o recebessem depois. Jesus fala que as pessoas do mundo são muito mais espertas do que o cristão, pois, se nós agíssemos com esperteza, com astúcia, como o próprio Jesus nos disse para sermos simples como as pombas e astutos como as serpentes, seríamos pessoas diferentes, pois, apesar de estarmos aqui neste mundo, sabemos que a nossa salvação, nossa vida está em Cristo, e se não vivermos de maneira que o agrade, não seremos recebidos por Ele, não seremos salvos. Mas, mesmo sabendo disso, não fazemos tudo o que é humanamente possível para vivermos de acordo com a vontade Dele. As pessoas do mundo tudo fazem para alcançar os seus objetivos, mas nós nada fazemos, e ainda achamos que fazemos o bastante, creio que os cristãos desta era estão precisando de rever a sua maneira de pensar.

“Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito; quem é injusto no pouco, também é injusto no muito. Se, pois, nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras? E se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso? Nenhum servo pode servir dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar ao outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas. Os fariseus, que eram gananciosos, ouviam todas essas coisas e zombavam Dele. E Ele lhes disse: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações; porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação. A lei e os profetas vigoraram até João; desde então é anunciado o Evangelho do Reino de Deus, e todo homem forceja por entrar Nele. É, porém, mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei.” (Lucas 16:10-17). Se temos conhecimento de que aqui só estamos de passagem, só estamos peregrinando em direção ao Reino, a Jesus, então sabemos que não devemos estar preocupados em ajuntar bagagem, pois ela nos impede de andar e de passar pela porta estreita. Mas também sabendo que tudo o que temos ou conseguimos nada mais é do que a vontade ou a permissão do Senhor, então, se temos alguma coisa aqui, vamos usá-la, tratá-la de acordo com a vontade do Mestre. Mas os evangélicos, os crentes de hoje em dia, acham que devem ser avarentos, idólatras, pois vivem em constante desespero para conseguir cada vez mais bens materiais, e não se preocupam com os sofrimentos dos seus próximos. Assim estão sendo infiéis ao Senhor, que permitiu que tivéssemos alguma coisa, mas para compartilhar, ajudar o próximo, o nosso semelhante, porém, como somos infiéis, na verdade queremos é tomar o pouco que os nossos semelhantes tiverem. Vemos isso de maneira clara nos templos onde pregadores tudo fazem para extorquir as pessoas com mentiras, campanhas e votos. Todas as pessoas que amam o dinheiro tudo fazem para conseguir mais e mais, e isso independentemente da maneira que for, honesta ou desonesta, o fato é que estão perdidas, longe do Senhor, e não alcançarão a vida eterna. Jesus deixou bem claro que é impossível amar Deus e o dinheiro. Quem quiser ter vida no Senhor, quem pretende viver eternamente, quem ama o Senhor lhe obedece em todos os sentidos, inclusive sobre a lei do casamento. Quem ama Cristo vive na Graça e não na lei ou nas suas vontades. “Todo aquele que repudia sua mulher e casa com outra, comete adultério; e quem casa com a que foi repudiada pelo marido, também comete adultério.” (Lucas 16:18).

Leiam e pratiquem a Bíblia, mais especificamente o Novo Testamento.

Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page