top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Subindo para Jerusalém




“Tendo Jesus assim falado, ia caminhando adiante deles, subindo para Jerusalém. Ao aproximar-se de Betfagé e de Betânia, junto do monte que se chama das Oliveiras, enviou dois dos discípulos, dizendo-lhes: Ide à aldeia que está defronte, e aí, ao entrar, achareis preso um jumentinho em que ninguém jamais montou; desprendei-o e trazei-o. Se alguém vos perguntar: Por que o desprendeis? respondereis assim: O Senhor precisa dele. Partiram, pois, os que tinham sido enviados, e acharam conforme lhes dissera. Enquanto desprendiam o jumentinho, os seus donos lhes perguntaram: Por que desprendeis o jumentinho? Responderam eles: O Senhor precisa dele. Trouxeram-no, pois, a Jesus e, lançando os seus mantos sobre o jumentinho, fizeram que Jesus montasse. E, enquanto Ele ia passando, outros estendiam no caminho os seus mantos. Quando já ia chegando à descida do Monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos, regozijando-se, começou a louvar a Deus em alta voz, por todos os milagres que tinha visto, dizendo: Bendito o Rei que vem em Nome do Senhor; paz no céu, e glória nas alturas.” (Lucas 19:28-38)

Durante o tempo de seu Ministério terreno, Jesus vivia constantemente se deslocando de um lugar para outro, sempre levando a sua mensagem, o seu Evangelho. Em uma dessas vezes, já sabendo tudo o que estava prestes a acontecer, Ele fez questão de que tudo o que estava determinado a seu respeito se cumprisse, que tudo o que estava escrito sobre Ele se cumprisse, e, portanto, antecipadamente, já tinha conversado, acertado com os donos daquele animal que o usaria e depois o devolveria. Assim, enviou discípulos para buscar o animal, e correu tudo como o esperado, trouxeram o animal para que Ele montasse. Mas o fato importante para o qual devemos atentar é que esse animal, esse jumento nunca ninguém tinha montado sobre ele, portanto, era um animal bravio. O jumento, antes de ser domado, ninguém consegue montá-lo tranquilamente, a não ser o domador, e vemos aqui que Jesus simplesmente montou nele, após lhe colocarem mantas sobre o lombo. E assim sabemos que esse animal não foi selado ou nele colocado cabresto. Mas o mais importante é que o jumento foi dócil, tranquilo e conduziu Jesus sem se espantar, mesmo estando no meio de uma multidão, e mesmo as pessoas pegando em ramos e galhos, esse animal não se assustou, ou nada parecido. Devemos prestar a atenção a esse milagre que Jesus fez, pois, creiam, é um grande milagre.

“Nisso, disseram-lhe alguns dos fariseus dentre a multidão: Mestre, repreende os teus discípulos. Ao que Ele respondeu: Digo-vos que, se estes se calarem, as pedras clamarão. E quando chegou perto e viu a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! se tu conhecesses, ao menos neste dia, o que te poderia trazer a paz! mas agora isso está encoberto aos teus olhos. Porque dias virão sobre ti em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te apertarão de todos os lados, e te derribarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem; e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não conheceste o tempo da tua visitação.” (Lucas 19:39-44). Então, quando Jesus se aproxima de Jerusalém, ali montado em jumentinho bravio, porém com Ele manso e dócil, olhando para a cidade, Ele levanta um lamento, porque sabia tudo o que iria acontecer, uma vez que o futuro pertence ao Senhor. Jesus olhou para a cidade que Deus escolheu, para um povo escolhido por Deus, mas que virou as costas a Ele, e preferiu viver uma religião que atendesse à vontade das suas carnes. Sabendo tudo o que iria suceder, Ele se entristece e diz o que iria acontecer, uma vez que nada poderia fazer para impedir, pois era e é a vontade do povo. Esse povo o rejeitou e, mais à frente, veremos essas pessoas traindo, prendendo, chicoteando e exigindo a sua morte, porque, infelizmente, não querem segui-lo, querem somente o que acham que é bom para elas, e esquecem que Bom é somente um: Deus. Para desfrutarmos da sua Bondade, devemos nos unir a Ele. Jesus, depois de entrar no templo, se depara com o comércio lá dentro, que na verdade era realizado no pátio, mas Ele não aceitou e expulsou todos, mostrando, falando que templo é lugar de oração, do Evangelho. Pela primeira vez vemos Jesus agir com violência, pois fez um chicote e virou as mesas deles. Mas o povo teimou e continua teimando, desrespeitando-o e não querendo ouvi-lo, pois basta adentrarmos a maioria dos templos que encontraremos todos os tipos de comércios e estelionatos. “Então, entrando Ele no templo, começou a expulsar os que ali vendiam, dizendo-lhes: Está escrito: A minha casa será casa de oração; vós, porém, a fizestes covil de salteadores. E todos os dias ensinava no templo; mas os principais sacerdotes, os escribas, e os principais do povo procuravam matá-lo; mas não achavam meio de o fazer; porque todo o povo ficava enlevado ao ouvi-lo.” (Lucas 19:45-48).

Leiam e pratiquem a Bíblia, mais especificamente o Novo Testamento.

Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page