top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

SEXO E CASAMENTO




“Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher; Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido.” (1 Coríntios 7:1-2)

Paulo esclarece vários assuntos e temas ligados ao casamento, que é o único e legítimo meio para satisfazer as necessidades sexuais de forma pura. Mas também alerta sobre as responsabilidades que o casamento traz e mostra que é um passo, uma decisão irreversível, porque, quando se casam, são duas pessoas transformadas em uma, espiritualmente falando, mas, como somos ainda humanos e imperfeitos, devemos aprender a nos moldar a uma outra pessoa, o que nunca é tão fácil. Mas, se queremos desfrutar do prazer do sexo sem pecar, só existe uma maneira: casando para não responder pelo pecado de prostituição. “O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido.” (1 Coríntios 7:3). Essa benevolência de que o apóstolo fala é sexual. Quando casados, o marido não pode se negar à esposa, não pode ficar alegando cansaço, desânimo ou qualquer outra coisa para não satisfazer as necessidades sexuais dela, não pode justificar com brigas, mágoas ou mau humor. Sabemos que nunca é fácil, principalmente para o homem, mas ele deve cumprir o seu papel, deve tudo fazer para atender aos pedidos e desejos da esposa. Assim também a esposa não pode alegar dor de cabeça, tristeza ou falta de desejo, mesmo porque cabe a ela cuidar do marido e até mesmo animá-lo, para que tudo ocorra a contento, porque, ao contrário da mulher, o homem não tem meios de realizar o ato se não tiver desejo. “A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.” (1 Coríntios 7:4). Como são uma só carne, não podem negar-se um ao outro. Assim também fica claro que, sendo uma só carne, não existe o pecado entre marido e mulher (porque sexo só pode acontecer entre casados) de fazer sexo oral, anal ou de outra forma qualquer, se for com a concordância de ambos. Sendo uma só carne, não se pode questionar onde cada um enfia o dedo, se no nariz ou na boca ou em outra parte do corpo. Assim como a boca é santa, as partes genitais também o são, e não existe uma parte no corpo que seja maldita. “Se, pois, todo o teu corpo é luminoso, não tendo em trevas parte alguma, todo será luminoso, como quando a candeia te ilumina com o seu resplendor.” (Lucas 11:36). Não podemos confundir sodomia com sexo anal entre casados, porque sodomia é relação sexual entre dois homens, pessoas do mesmo sexo.

“Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.”(1 Coríntios 7:5). Não se negue um ao outro com quaisquer desculpas, mesmo se for fazer um jejum, que sejam os dois de comum acordo e por pouco tempo, e logo voltem a se amar para que, pela carência, o diabo não coloque pensamentos e acabe acontecendo o adultério. Assim também esposas não podem alegar uma falsa santidade para não concordarem com determinada maneira de fazer sexo com o seu marido, nem o marido com a esposa, porque o diabo poderá conduzir o adultério, porque podem buscar fora o que não têm em casa. É dever dos casados se satisfazerem mutuamente; o que não pode acontecer de forma nenhuma é se negarem por qualquer motivo. “Digo, porém, isto como que por permissão e não por mandamento. Porque quereria que todos os homens fossem como eu mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um de uma maneira e outro de outra.” (1 Coríntios 7:6-7). Diante das responsabilidades do casamento significa que o casamento não é um mandamento, ou seja, não existe uma determinação para que todos se casem. Mas, para evitar a prostituição, que se casem. Deus disse: “não é bom que o homem esteja só”. Ele não disse que o homem não poderia ficar só, porque os casados têm obrigações com as esposas, os maridos, e não podem se dedicar inteiramente à obra do Senhor, porque têm as responsabilidades de casados. “Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu. Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se.” (1 Coríntios 7:8-9). Paulo estava solteiro e se dedicava inteiramente à obra, ao ministério de evangelização e pregação, e ele diz que, se pudessem viver como ele, seria bom, mas, para não viverem abrasados, afogueados, cheios de desejos, com tesão, e pecando com os pensamentos e olhos, então que se casassem e tivessem cada um a sua esposa, ou o seu marido. Não se permite sexo sem ser casado, ou seja, esse é um privilégio exclusivo dos casados, mas, ao assumir um casamento para solucionar a questão sexual, a carência, deve-se levar em conta as obrigações, as imposições do casamento, da perda da individualidade, porque se deixa de ser só e se passa a ser duas pessoas em uma, até que a morte os separe.

“Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido.”(1 Coríntios 7:10). Depois que aconteceu o casamento, não existe mais separação; a mulher não pode separar, deixar, abandonar o marido por qualquer motivo. Ela deve buscar o Senhor, pois o nosso Deus tudo muda, inclusive caráter. Se o marido for violento, espancador, existe a lei (Maria da Penha). A mulher deve ir à delegacia de polícia e denunciá-lo, para que o marido receba a devida punição, mas não se separar dele. Qualquer outra coisa além desta, ela deve orar, jejuar, buscar o Senhor, se santificar, e, com certeza, Deus mudará, transformará o seu marido, o seu casamento. Não existe nenhum motivo que justifique a separação ou o divórcio. Vemos que esse mandamento não é do apóstolo, mas do Senhor, como ele mesmo faz questão de frisar: “Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.” (1 Coríntios 7:11). Mas, se pela dureza do coração, por não conseguir perdoar, se separar, não se case, viva só, ou, caso contrário, volte para o marido e não tente buscar um novo marido, pois aí estaria agravando ainda mais o seu pecado, e com certeza não haveria salvação. Deus não permite, não autoriza em hipótese nenhuma o recasamento, ou seja, um novo casamento, pois, quando casaram, se transformaram em uma só pessoa, e isso só é mudado com a morte, o falecimento de uma das partes. Casamento é só para solteiros (as) ou viúvos (as). “Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele, não a deixe.” (1 Coríntios 7:12). Esses versículos são muito mal interpretados, porque muitos têm buscado aqui uma justificativa para a separação ou divórcio, o que é um engano. Basta observar que até o versículo 11 Paulo estava falando de casados, e aqui aos OUTROS, e esses OUTROS são os que vivem juntos como se casados fossem, amigados, juntos, esses, quando se convertem, não é necessário que se separem, mas que legalizem a situação.”E se alguma mulher tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe. Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos.”(1 Coríntios 7:13-14). Mas se a outra parte quiser ir embora, se separar, deve-se deixar, pois Deus não tem compromisso com esse relacionamento, uma vez que não são casados e, portanto, não são uma só carne, estão vivendo no pecado de fornicação, prostituição. Exatamente devido à tradução é que – por logo a seguir falar como se fosse marido – as pessoas têm um entendimento diferente, mas, creiam, a Palavra de Deus não é contraditória, esses de que se fala a partir do versículo 11 são os que não são casados: Os OUTROS. Se vier para o Senhor e já tiver um relacionamento com alguém, se tiver filhos, não é necessário acabar com esse relacionamento, mas simplesmente legalizá-lo, e aí transformam-se em uma só carne, e os filhos também serão abençoados. Mas se a outra parte não concordar, quiser ir embora, que vá em paz, e agora na presença do Senhor, sendo solteiro, porque nunca casou, só viveu junto, está livre para se casar e ser feliz. “Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não está sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz.” (1 Coríntios 7:15).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr.Henrique Lino

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page