top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Os olhos em Jesus



“Portanto, nós também, pois estamos rodeados de tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta, fitando os olhos em Jesus, autor e consumador da nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe está proposto, suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à direita do Trono de Deus. Considerai, pois aquele que suportou tal contradição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos canseis, desfalecendo em vossas almas.” (Hebreus 12:1-3)

 

              É inegável o Poder e Ação de Deus, os milagres, sinais acontecem constantemente em todas as áreas, em toda parte. Iniciam-se pelos vários testemunhos que temos nas páginas da Bíblia, onde encontramos vários relatos do Poder de Deus sobre os seus servos e também sobre a vida dos adversários. O Poder de Deus também se cumpre na vida dos rebeldes e desobedientes, assim, sabemos que quem não está com o Senhor está contra Ele e sofre as consequências disso. No nosso dia a dia, vemos constantemente os sinais e milagres que acontecem em nossas vidas e nas vidas de pessoas próximas ou que simplesmente conhecemos. Somos abençoados, protegidos o tempo todo e nem percebemos, porque Deus não tem que ficar divulgando os bilhões de livramento que nos dá, por tal motivo,  muitas vezes nem percebemos e quase sempre não agradecemos  a Ele, esquecendo que tudo o que acontece em nossa vidas é por vontade ou permissão Dele. Nada  nem de bom ou ruim pode  nos acontecer sem o consentimento Dele, por isto devemos sempre estar agradecendo por tudo o que temos, vivemos e somos, pois tudo é Ele. Portanto, tendo esse conhecimento, devemos manter os nossos olhos em Cristo e abandonarmos os nossos pecados, devemos mortificar as nossas carnes, isto é, jamais satisfazer as vontades da nossa carne. Temos exemplos em Jesus que, mesmo sem ter cometido qualquer pecado, sofreu a maior das afrontas e se permitiu ser humilhado, espancado e crucificado em nosso lugar; portanto, se Ele é o nosso Mestre, então que olhemos para Ele e procuremos nos purificar, e paremos de reclamar por qualquer unha quebrada.

         “Ainda não resististes até o sangue, combatendo contra o pecado; e já vos esquecestes da exortação que vos admoesta como a filhos: Filho meu, não desprezes a correção do Senhor, nem te desanimes quando por Ele és repreendido; pois o Senhor corrige ao que ama, e açoita a todo o que recebe por filho. É para disciplina que sofreis; Deus vos trata como a filhos; pois qual é o filho a quem o pai não corrija?  Mas, se estais sem disciplina, da qual todos se têm tornado participantes, sois então bastardos, e não filhos. Além disto, tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e os olhávamos com respeito; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, e viveremos?” (Hebreus 12:4-9). Somos uma geração que reclama de tudo, lamentamos quando as nossas vontades não são atendidas, ou quando sofremos qualquer contradição, e mesmo assim gostamos de falar que somos cristãos. Se assim fosse, então nossos olhos estariam fixos no Senhor, não estaríamos preocupados com qualquer coisa que nos acontecesse aqui, pois o nosso Mestre sofreu muito mais, mesmo sendo Santo. Também temos que observar que somos falhos, carnais, errantes; e o nosso Pai, exatamente por ser nosso Pai, é que nos corrige, para que possamos aprender, abandonar os erros e nos voltarmos para Ele. Devemos também alertar para o fato de que, apesar de Jesus ter passado por tanto sofrimento, a maior das ofensas Ele não estava sofrendo, que é a ira de Deus, ao contrário, estava no Amor do Pai. Se queremos desfrutar do Amor do Pai, devemos nos submeter a Ele e aceitar a sua correção agora, para que não venhamos a sofrer a sua ira por toda a eternidade.  Não podemos esquecer que aqui é um lugar somente de passagem, não é nossa moradia definitiva, estamos indo para nossa casa, e pela maneira como nos portarmos aqui, sabemos onde será a nossa casa. Se não aceitarmos as correções do Pai, então sabemos para onde iremos. “Pois aqueles por pouco tempo nos corrigiam como bem lhes parecia, mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade. Na verdade, nenhuma correção parece no momento ser motivo de gozo, porém de tristeza; mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos que por Ele têm sido exercitados.” (Hebreus 12:10-11).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page