• Pr. Henrique Lino da Silva

OS MINISTROS DE CRISTO


“Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel.” (1 Coríntios 4:1-2)

          Nós que nos julgamos convertidos a Cristo, que afirmamos que somos salvos, lavados e remidos no Sangue de Cristo, temos o dever de mostrar isto através de nosso caráter, de nossas ações diárias. Se somos realmente salvos, se temos Cristo habitando em nós, então temos a obrigação de mostrar para o mundo a sua face, porque somos como uma despensa e temos guardadas em nós coisas sublimes, temos as maravilhas do Reino em nós. Se falamos que somos cristãos, mas agimos da mesma maneira que as pessoas que não conhecem o Senhor, então somos hipócritas, mentirosos, falsos, porque falamos uma coisa que não é verdade. Não podemos ser falsos, porque, ao nos identificarmos como cristãos, as pessoas vêm até nós esperando encontrar um comportamento cristão, esperando encontrar em nós a verdade, a compreensão, o domínio próprio, a bondade e o amor. Quando agimos de maneira contrária à que falamos que somos, quando o nosso comportamento mostra outra coisa, somos decepcionantes, somos pessoas que trazem frustrações, porque, quando alguém vem até nós esperando encontrar algo de Cristo e não encontra, sai frustrado e decepcionado. Na verdade, com o nosso comportamento estamos agindo como inimigos da cruz, inimigos de Cristo, porque, como as pessoas veem em nós um comportamento inadequado a um cristão, e como afirmamos que somos cristãos, então elas não querem saber de Cristo, já que os que se dizem cristãos são mentirosos. Devemos tomar cuidado para não sermos hipócritas, não falarmos uma coisa e fazermos outra com a intenção de agradar e nos justificar diante dos homens, porque a nossa preocupação não pode ser agradar a seres humanos, mas agradar a Deus. “Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por algum juízo humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o Senhor.” (1 Coríntios 4:3-4). Temos que analisar as nossas vidas à luz do Evangelho, e não nos basearmos em julgamentos humanos, porque somos todos imperfeitos, e a maneira como o mundo, como a lógica humana julga é contrária à de Deus. Não esperamos glórias dos homens, mas sim a aprovação do Senhor; assim sendo, temos que ser uma despensa cheia de coisas espirituais agradáveis, porque somos seres espirituais.

 “Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor.” (1 Coríntios 4:5) Por esse motivo não podemos fazer julgamentos baseados em conhecimento e sabedoria humana, e sim nos aprofundarmos no conhecimento de Cristo e julgarmos somente de acordo com o Evangelho, porque assim saberemos que o julgamento não é nosso, mas Dele. Se somos despenseiros de Cristo, se somos habitação Dele, então é Ele quem faz em nós, assim, só agimos, falamos, julgamos por Ele, e não por nós mesmos. Tudo será esclarecido e revelado no tempo certo; quando Jesus voltar, no dia do julgamento tudo será mostrado, nada ficará oculto. Assim não podemos querer ultrapassar além do que está escrito no Evangelho, porque o Evangelho, a Palavra é o próprio Cristo, e, se tentarmos ir além, estaremos pecando, estaremos errando, porque a nossa limitação é Cristo. Temos que procurar agir somente de acordo com o Evangelho, nem menos e nem mais, somente como o Senhor determina; não podemos querer criar novas doutrinas, acrescentar algo ou modernizar o Evangelho para o adaptar à situação atual, mesmo porque o Evangelho é atual, é vivo. Todos nós receberemos as nossas recompensas de acordo como tratamos, vivemos o Evangelho de Jesus Cristo aqui. No dia do julgamento seremos expostos, mesmo porque nada haverá de oculto que não será revelado. “E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.” (1 Coríntios 4:6). Assim como o apóstolo Paulo, temos que aplicar isto em nós mesmos, para que sejamos exemplo, para que as pessoas possam se espelhar em nós, para que sejamos dignos de herdarmos o Reino. Não podemos fazer julgamentos injustos, porque Cristo é Justo e Ele habita em nós, então o julgamento é Dele; assim não favorecemos ninguém, a todos devemos tratar por igual. Não podemos abrir exceção nem mesmo para os nossos familiares ou amigos, porque Cristo não abriu e é Ele quem faz os julgamentos, assim tratemos todos por igual. Não existe a opção de podermos fazer algo para beneficiar um parente, um amigo, ou outra pessoa que nem mesmo conhecemos, porque isto seria injusto, e não existe para Cristo essa acepção, mesmo porque vimos como Ele tratou os irmãos carnais, os filhos de Maria e José, e até mesmo como tratou Maria, sua mãe carnal. “Porque, quem te faz diferente? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido? Já estais fartos! Já estais ricos! Sem nós reinais! E quisera reinásseis para que também nós viéssemos a reinar convosco!” (1 Coríntios 4:7-8). Não existe ninguém superior ao outro espiritualmente, porque todos temos que ser somente servos de Cristo, temos que ser servidores do Deus Altíssimo, portanto, temos que estar preparados para exercer nossas funções. Os que estão despreparados, os que não estão cumprindo com as suas obrigações estão em erro e vão pagar por isso, mas não quer dizer que somos superiores, porque todos nós estamos sujeitos a falhas, a cair. Assim sejamos cristãos e não julguemos, mas exortemos, admoestemos, consolemos de acordo com o Evangelho, pois essa é nossa obrigação. “Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, aos anjos, e aos homens. Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós vis. Até está presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, E nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos. Somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos; somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos.” (1 Coríntios 4:9-13).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino

Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br – O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

1 visualização

©2020 por Ministério Atalaia do Evangelho de Deus.

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • Instagram