top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

O suficiente



“Partindo Jesus dali, chegou ao pé do mar da Galiléia; e, subindo ao monte, sentou-se ali. E vieram a Ele grandes multidões, trazendo consigo coxos, aleijados, cegos, mudos, e outros muitos, e lhos puseram aos pés; e Ele os curou; de modo que a multidão se admirou, vendo mudos a falar, aleijados a ficar sãos, coxos a andar, cegos a ver; e glorificaram ao Deus de Israel.” (Mateus 15:29-31)

Vejo as pessoas criticarem quando encontram alguém que prega sentado, mas, se elas atentassem, veriam que Jesus inúmeras vezes assim procedeu, e se somos seus discípulos, então podemos, ou melhor, devemos fazer o mesmo. Jesus, chegando junto ao mar da Galileia, ou lago de Tiberíades como também era conhecido, procurou um lugar mais alto, um monte, e sentado começou a atender as pessoas. Vieram pessoas de todas as partes, trazendo os enfermos, os endemoniados, ou perturbados, e outros vinham somente para ouvi-lo, claro que no meio desses havia também os espias dos sacerdotes e havia os infiltrados, que estavam ali em busca de algum erro de Jesus para denunciá-lo, e assim prendê-lo e matá-lo. Temos que observar que, apesar de Israel viver sob o domínio de Roma, quem queria prender e assassinar Jesus eram os próprios judeus, os conterrâneos de Jesus, os que diziam ser servos de Deus, os religiosos. Por isto sempre alerto sobre essa classe, devemos tomar muito cuidado com eles, uma vez que citam o Nome do Senhor, que é Santo para todo o sempre, mas agem contra Ele, falam e ensinam contra Ele. Todas as pessoas que iam a Jesus com algum problema Ele resolvia, ou seja, curava, libertava e pregava o Evangelho. Cremos que Ele tenha ficado muito tempo ali sentado atendendo as pessoas, pois, como a própria Palavra nos fala, era uma multidão que o procurava, e Ele atendia a todos, e vinham pessoas de outras cidades e regiões. Assim fica entendido que, durante a sua permanência ali, as pessoas, as cidades e regiões próximas ficavam sabendo, e isso dava tempo de levarem os seus enfermos. Jesus operava os milagres primeiramente para mostrar o seu Poder, o Poder de Deus, e para todos saberem que Ele era Deus, e segundo para atrair a atenção das pessoas, assim Ele ensinava o Evangelho, por isto sempre estava operando sinais e maravilhas, e mesmo assim os judeus não quiseram reconhecê-lo como o Messias.

“Jesus chamou os seus discípulos, e disse: Tenho compaixão da multidão, porque já faz três dias que eles estão comigo, e não têm o que comer; e não quero despedi-los em jejum, para que não desfaleçam no caminho. Disseram-lhe os discípulos: Donde nos viriam num deserto tantos pães, para fartar tamanha multidão? Perguntou-lhes Jesus: Quantos pães tendes? E responderam: Sete, e alguns peixinhos. E tendo Ele ordenado ao povo que se sentasse no chão, tomou os sete pães e os peixes, e havendo dado Graças, partiu-os, e os entregava aos discípulos, e os discípulos a multidão.” (Mateus 15:32-36). Jesus então olha aquela multidão que tinha se deslocado de longe para segui-lo, indo em busca Dele, e como era tarde, não havia condições de elas voltarem para suas casas e se alimentarem. Novamente percebemos que Jesus ficou muito tempo sentado ali, pois as cidades estavam longe, e mesmo assim deu tempo de as pessoas fazerem uma caminhada até Ele. Fazia três dias que as pessoas estavam com Ele, e agora o Senhor demonstra preocupação, pois aquelas pessoas não tinham alimento, não tinham o que comer. Então Ele fala com os seus discípulos, pergunta-lhes o que havia de alimentos, e é informado que tudo o que havia eram sete pães e alguns peixes pequenos. Jesus então manda as pessoas sentarem e distribui os pães e peixes, que foram o suficiente para todos comerem e se fartarem, sobrando bastante. Temos que observar que Jesus poderia ter orado e pedido ao Pai para fazer surgir uma montanha de peixes e pães, mas não foi isso que fez, simplesmente usou o que eles tinham, o que já existia. Isto serve para nos mostrar que o que temos é o suficiente se estivermos com Jesus, pois Ele não fará surgir grandes quantidades, mas fará que o que temos seja o suficiente. Temos que compreender que o que temos com o Senhor é muito, e dá para nós e ainda ajudar e socorrer muitos. “Assim todos comeram, e se fartaram; e do que sobejou dos pedaços levantaram sete alcofas cheias. Ora, os que tinham comido eram quatro mil homens além de mulheres e crianças. E havendo Jesus despedido a multidão, entrou no barco, e foi para os confins de Magadã.” (Mateus 15:37-39).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page