top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

No princípio



“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio Dele, e sem Ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a Vida, e a Vida era a Luz dos homens; a Luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio como testemunha, a fim de dar testemunho da Luz, para que todos cressem por meio dele. Ele não era a Luz, mas veio para dar testemunho da Luz. Pois a verdadeira Luz, que ilumina a todo homem, estava chegando ao mundo. Estava Ele no mundo, e o mundo foi feito por intermédio Dele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, aos que creem no seu Nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus.” (João 1:1-13)

No princípio de tudo era Jesus, e Ele estava com Deus, porque Ele era Deus, isto porque o Verbo, que é a Palavra, é Jesus, e tudo foi feito por Ele, e sem Ele nada teria sido feito. O Verbo, que é a Palavra, que é Jesus, é a Luz que resplandece no mundo e as trevas não suportam, e a Vida está Nele, sem Jesus não existe vida. Não podemos deixar de pensar e entender que falamos de Vida, pois a Vida não tem fim, o que fazemos aqui não é viver, é peregrinar, em direção à Vida ou à morte. A Vida é Jesus, e, para termos Vida, é necessário estarmos em Jesus. Não podemos jamais confundir essa nossa peregrinação, nossa passagem por este mundo como vida, pois viver é outra coisa, aqui onde peregrinamos é lugar de morte, pois este lugar que conhecemos por mundo está morto no diabo. Para termos vida, é necessário estarmos em Jesus, por isto que devemos tomar muito cuidado para não sermos enganados, atraídos para as coisas daqui, porque tudo o que o mundo oferece é morte, vida quem oferece é só Jesus, e não existe nada e nem ninguém que pode oferecer vida, não existe santo, santa, padroeiro ou algum amuleto, e muito menos qualquer ritual ou sacrifício, só existe uma única maneira, que é ir a Jesus, e Ele nos conduzirá à vida, se estivermos em plena concordância com Ele e praticando as suas ordenanças, que são uma demonstração de amor, na verdade, a única que Ele reconhece e aceita.

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de Graça e de Verdade; e vimos a sua Glória, como a Glória do Unigênito do Pai. João deu testemunho Dele, e clamou, dizendo: Este é aquele de quem eu disse: O que vem depois de mim, passou adiante de mim; porque antes de mim Ele já existia. Pois todos nós recebemos da sua Plenitude, e Graça sobre Graça. Porque a lei foi dada por meio de Moisés; a Graça e a Verdade vieram por Jesus Cristo.” (João 1:14-17). João Batista foi enviado antes para preparar o mundo para receber o Messias, o Filho de Deus. Ele não era a Luz verdadeira, mas foi enviado com o objetivo de alertar o mundo sobre a vinda da verdadeira Luz. Mas o mundo não quis acreditar nele, não quis ouvi-lo e nem aceitar Jesus como o Messias. Os religiosos o rejeitaram, o perseguiram e o mataram. João Batista foi morto degolado, por obedecer a Deus e condenar o pecado do adultério, e então um rei, um déspota que estava com a sua cunhada malvada e pecadora, mandou o degolar com o intuito de o calar. Calaram João, mas a Palavra, que é o Verbo, continua para sempre, condenando o adultério, o recasamento, o divórcio. Os religiosos, os pecadores não aceitaram Jesus, mas os que o aceitaram e continuam aceitando estes se tornaram filhos de Deus, e todo o resto é somente feitura, criaturas Dele, e se não se converterem, irão padecer por toda a eternidade. Temos que entender que aceitar não é com palavras, mas com mudança de vida, é se convertendo inteiramente a Ele, é abandonando os pecados e vivendo segundo as suas ordenanças. O Verbo, Jesus, se fez carne, se igualou a nós, seres humanos, para que pudéssemos ser salvos por Ele, porque então existia somente a lei dada por Moisés, que era incapaz, insuficiente para salvar alguém. O que predominava eram as trevas, não existia salvação. Ele veio e sofreu em nosso lugar e levou cativo o cativeiro, nos dando opção de sermos salvos se assim desejarmos, se nos submetermos a Ele. A salvação da humanidade tem nome, é Jesus Cristo, se assim quiserem, os que não o aceitam já estão condenados. “Ninguém jamais viu a Deus. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o deu a conhecer. E este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para que lhe perguntassem: Quem és tu? Ele, pois, confessou e não negou; sim, confessou: Eu não sou o Cristo. Ao que lhe perguntaram: Pois que? És tu Elias? Respondeu ele: Não sou. És tu o profeta? E respondeu: Não. Disseram-lhe, pois: Quem és? para podermos dar resposta aos que nos enviaram; que dizes de ti mesmo? Respondeu ele: Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías.” (João 1:18-23).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page