• Pr. Henrique Lino da Silva

Multidão Hipócrita

“E, levantando-se toda a multidão deles, o levaram a Pilatos. E começaram a acusá-lo, dizendo: Havemos achado este pervertendo a nação, proibindo dar o tributo a César, e dizendo que Ele mesmo é Cristo, o rei.” (Lucas 23:1-2)

Jesus tinha sido preso e interrogado pelos sacerdotes. Depois tinham-no enviado para o governador, a autoridade romana, para que o condenassem à morte. Quando ouvimos Jesus falar que era a hora das trevas, conseguimos visualizar de maneira clara, porque, como a Palavra nos mostra, a multidão se levantou para condenar, para exigir a morte daquele que só tinha dado vida. Jesus pregou o Evangelho, curou muitos enfermos, libertou uma quantidade enorme de pessoas oprimidas pelo diabo, abriu os olhos aos cegos, operou todo tipo de milagre, inclusive ressuscitando mortos. Esse povo, os religiosos, além de toda a multidão o conduzem a Pilatos e dizem mentiras, falam que Ele tinha proibido pagar os impostos a César, o que não era verdade, mesmo porque Jesus tinha dito: “dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. Mas eles queriam algo para condenar Jesus, queriam justificar suas más ações, e por isso criaram essa mentira também dizendo que Ele tinha se declarado rei de Israel. Mas, a bem da verdade, Jesus fugiu o tempo todo das pessoas que queriam ou pensavam que Ele seria o rei físico de Israel, isto por não entenderem que Ele é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores. “E Pilatos perguntou-lhe, dizendo: Tu és o Rei dos Judeus? E ele, respondendo, disse-lhe: Tu o dizes.” ((Lucas 23:3). O governador Pilatos, depois de ouvir esses brados da multidão, se dirige a Jesus e lhe pergunta se Ele é o rei dos judeus, e Jesus simplesmente diz que é ele quem está dizendo. Em nenhum momento Jesus se exaltou, ou tentou alegar inocência, não pediu clemência e nem disse que o povo, os sacerdotes estavam mentindo, Ele foi o Cordeiro mudo. Isto porque Jesus sabia que aquele era o plano de Deus. Ele sabia que deveria se submeter àquele castigo e que também deveria morrer por todos nós, pecadores. Jesus foi obediente ao Pai até a morte, e morte de cruz, portanto, quando vejo as pessoas alegarem que estão cansadas, que estão sofrendo muito, fico imaginando que elas não conhecem Cristo, que sofreu realmente por elas, e em nenhum momento abriu a boca para dizer que estava sofrendo, que não aguentava. Jesus na cruz do Calvário Ele só clamou ao Pai quando Ele estava com todo o peso do pecado, e o Pai se ausentou. “E disse Pilatos aos principais dos sacerdotes, e à multidão: Não acho culpa alguma neste homem. Mas eles insistiam cada vez mais, dizendo: Alvoroça o povo ensinando por toda a Judéia, começando desde a Galiléia até aqui.” (Lucas 23:4-5). Pilatos, observando o povo e Jesus, viu que Ele era inocente, que não existia base para condená-lo, ele sabia que as acusações eram falsas, por isso ele fala com os sacerdotes, e a multidão que não tinha encontrado nada que pudesse acusá-lo. Pilatos queria soltar Jesus, mas os religiosos o obrigaram a condenar o Senhor. Os religiosos estavam fazendo com que o povo ficasse alvoroçado pedindo a morte de Jesus, e vemos a ingratidão das pessoas porque muitos desses que estavam juntos na multidão pedindo a morte de Jesus provavelmente comeu dos pães e peixes em uma das vezes em que Ele os multiplicou, ou tinha algum amigo ou parente que se beneficiou com algum milagre de Jesus, mas mesmo assim eles preferiram ouvir os sacerdotes, os religiosos e negaram Cristo e exigiam a sua morte. Mas isso não é algo raro ou anormal, pois hoje vemos pessoas que são beneficiadas com livramento, do Senhor, com milagres, e preferem ignorá-lo, negá-lo e continuarem nos pecados, sempre o negando. “Então Pilatos, ouvindo falar da Galileia perguntou se aquele homem era galileu. E, sabendo que era da jurisdição de Herodes, remeteu-o a Herodes, que também naqueles dias estava em Jerusalém. E Herodes, quando viu a Jesus, alegrou-se muito; porque havia muito que desejava vê-lo, por ter ouvido Dele muitas coisas; e esperava que lhe veria fazer algum sinal.” (Lucas 23:6-8). Pilatos então o envia a Herodes, pois achava que, por Jesus ser da Galileia, possivelmente o rei Herodes o beneficiaria, mas não foi o que aconteceu. Herodes recebe Jesus, pois estava curioso querendo ver algum milagre, algum sinal, mas não pretendia ir contra a multidão. Assim interroga Jesus de todas as maneiras, mas também não encontra respostas, porque o Senhor não abriu a boca para se justificar, ou se defender e muito menos se dispôs a fazer algum sinal ou milagre diante de Herodes para que o pudesse fazer se inclinar a seu favor.“E interrogava-o com muitas palavras, mas Ele nada lhe respondia. E estavam os principais dos sacerdotes, e os escribas, acusando-o com grande veemência. E Herodes, com os seus soldados, desprezou-o e, escarnecendo Dele, vestiu-o de uma roupa resplandecente e tornou a enviá-lo a Pilatos. E no mesmo dia, Pilatos e Herodes entre si se fizeram amigos; pois dantes andavam em inimizade um com o outro.” (Lucas 23:9-12). Mas, como Jesus nada respondeu, fizeram piadas Dele, riram, e Herodes o desprezou, porque não viu nenhuma reação da parte do Senhor. Mas esse acontecimento serviu para fazer Pilatos e Herodes fazerem amizade, pois os dois haviam se desentendido e estavam sem se falar havia algum tempo. Herodes mandou Jesus de volta para Pilatos, porque, afinal, quem tinha que dar o veredito era a autoridade romana, e sem levar em conta que eles não queriam sujar as mãos, agiram como uma pessoa que contrata um pistoleiro para executar alguém. Mas não podemos criticar porque muitas vezes nós agimos pior do que eles, pois condenamos algumas religiões, mas nós mesmos, com as nossas atitudes, condenamos Jesus, pois não vivemos e nem praticamos o seu Evangelho que dissemos conhecer, e não podemos esquecer que Ele é o próprio Evangelho. “E, convocando Pilatos os principais dos sacerdotes, e os magistrados, e o povo, Disse-lhes: Haveis-me apresentado este homem como pervertedor do povo; e eis que, examinando-o na vossa presença, nenhuma culpa, das de que o acusais, acho neste homem.” (Lucas 23:13-14). Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe. Um abraço, Pr. Henrique Lino

Se você está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br – O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.

0 visualização

©2020 por Ministério Atalaia do Evangelho de Deus.

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • Instagram