top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Mostrar a Verdade




“Ora, chegavam-se a Ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir. E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles. Então Ele lhes propôs esta parábola: Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai após a perdida até que a encontre? E achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo; e chegando a casa, reúne os amigos e vizinhos e lhes diz: Alegrai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se havia perdido. Digo-vos que assim haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas e perdendo uma dracma, não acende a candeia, e não varre a casa, buscando com diligência até encontrá-la? E achando-a, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu havia perdido. Assim, digo-vos, há alegria na presença dos anjos de Deus por um só pecador que se arrepende.” (Lucas 15:1-10)

       O servo do Senhor não pode fugir, afastar-se das pessoas que estão no mundo, que estão em pecado e vivendo uma vida dissoluta e afastada do Senhor; ao contrário, deve se aproximar e mostrar a Verdade, pregar o Evangelho e ensinar o Caminho da Verdade. Vejo os supostos crentes, ou evangélicos, terem medo dos espíritas, se afastarem deles, ou os ofender, mas o que devemos fazer é simplesmente apresentar Jesus a eles para que possam vir a se converter e serem salvos. O que a Bíblia nos ensina é que as únicas pessoas das quais devemos nos afastar são os falsos crentes, esses que se dizem evangélicos, mas mesmo assim vivem em práticas erradas, cometem pecados e depois citam o Nome do Senhor (que é Santo para sempre amém). Desses mentirosos devemos nos afastar, mas das pessoas do mundo devemos nos aproximar para que com os nossos exemplos e testemunhos elas se convertam e sejam salvas. Jesus comia, se alimentava com os religiosos, com os pecadores, e como mesmo afirmou, Ele veio foi para nós, pecadores, para que pudéssemos ser salvos, e se somos seus seguidores, então devemos praticar as mesmas obras. Sempre lembro às pessoas que elas não devem ser religiosas, mas cristãs, seguidoras de Jesus, que não devemos praticar doutrinas ou preceitos de homens, de denominações, e sim praticar a Doutrina de Cristo, que a encontramos na Bíblia, no Novo Testamento.

         “Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos. O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois, os seus haveres. Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar necessidades. Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava nada. Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados.” (Lucas 15:11-19). As pessoas têm que compreender que Jesus veio para os que estavam perdidos e não para os rebeldes, porque, quando analisamos a parábola da ovelha perdida e do filho pródigo, percebemos a enorme diferença, e é exatamente o que Jesus quis nos mostrar. O filho se rebelou com o pai e quis ir para o mundo, mas o pai não foi atrás, não insistiu, simplesmente o deixou ir, e após passar por sofrimentos, fome e tudo mais, ele se arrependeu e voltou ao pai que o estava esperando. Assim somos nós, que conhecemos Cristo. Se a pessoa o abandonar e for para o mundo, para o pecado, não temos que ir atrás dela ou implorar-lhe para voltar, devemos deixar que ela se arrependa verdadeiramente, e amanhã ou depois nós a receberemos de braços abertos, por mais que a amemos, deixamos que ela escolha o seu caminho. Todos têm direito de escolha, o que chamamos de livre arbítrio, assim, se a pessoa quiser de maneira deliberada viver no erro, nada podemos fazer, mesmo que seja uma pessoa muito chegada a nós, como filho ou outro parente qualquer. Deus é Amor, mas é Justiça. “Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. Disse-lhe o filho: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um anel no dedo e alparcas nos pés; trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos, porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a regozijar-se.” (Lucas 15:20-24).

 Leiam e pratiquem a Bíblia, mais especificamente o Novo Testamento.

 Que Deus os abençoe.

 Um abraço,

Pr. Henrique Lino

 

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Komentar


bottom of page