top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Justificados




“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por

nosso Senhor Jesus Cristo; Pelo qual também temos entrada pela

fé a esta Graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na

esperança da Glória de Deus. E não somente isto, mas também nos

gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a

paciência, E a paciência a experiência, e a experiência a

esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de

Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que

nos foi dado. Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu

tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo;

pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova

o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós

ainda pecadores. Logo muito mais agora, tendo sido justificados

pelo seu Sangue, seremos por Ele salvos da ira. Porque se nós,

sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu

Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela

sua vida. E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus

por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a

reconciliação.” (Romanos 5:1-11)

       Sabemos que Jesus Cristo, o Filho de Deus, veio ao mundo e se

permitiu sofrer todo tipo de humilhação e morreu por nós, para justificar

os nossos erros e pecados. Sabendo disso, somos conscientes de que já

fomos justificados por Cristo, e assim desfrutamos da paz com o Senhor.

Desta forma festejamos, gloriamos em Deus pela nossa libertação do

pesado jugo e desfrutamos dessa paz vivendo em conformidade com a

sua vontade, pois sabemos que Ele tudo fez por nós para que

pudéssemos ter vida de paz Nele. Também não reclamamos e nem nos

assustamos com as lutas e aflições, pois elas são esperadas na vida do

cristão, uma vez que o nosso Mestre, nosso Salvador, nos preveniu de

que aqui teríamos lutas, mas deveríamos perseverar Nele, porque

seríamos vencedores, pois Ele venceu. As aflições nos tornam pessoas

pacientes, sabendo que aguardamos a volta do nosso Senhor. É com

calma que esperamos o grande dia, esperamos o dia de nos unir a Ele

de maneira definitiva. Como somos pacientes, então simplesmente

aguardamos, perseveramos no Senhor, independentemente das

situações adversas que possamos estar enfrentando, então nos

tornamos experientes no Senhor, servos fiéis, e com isto digo que, com a

nossa experiência no Senhor, somos ensinadores, somos exemplos para

todos aqueles que buscam viver segundo a vontade do Senhor, os que

sabem que já foram justificados por Cristo. A experiência nos traz a

Esperança que é Jesus Cristo, porque sabemos e conhecemos Cristo, o

seu amor está em nós, afinal, foi por amor que se entregou por nós, foi

por amor que foi obediente ao Pai até a morte, e morte em cruz.

         “Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo

pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por

isso que todos pecaram. Porque até a lei estava o pecado no mundo,

mas o pecado não é imputado, não havendo lei. No entanto, a morte

reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham

pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura

daquele que havia de vir. Mas não é assim o dom gratuito como a

ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a

Graça de Deus, e o Dom pela Graça, que é de um só homem, Jesus

Cristo, abundou sobre muitos. E não foi assim o Dom como a ofensa, por

um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade,

para condenação, mas o Dom gratuito veio de muitas ofensas para

justificação.” (Romanos 5:12-16). O pecado entrou no mundo através de

Adão que, apesar de estar no Paraíso, permitiu-se pecar, pois a sua

mulher, seduzida pela serpente, deu ouvidos a quem não deveria e

seduziu o seu marido, portanto, a responsabilidade foi dele, pois Deus o

colocou para liderar. Enquanto Adão foi derrotado no Paraíso, Jesus foi

vencedor no deserto, e por Ele veio a salvação de todos nós que

aceitamos a justificação, e, portanto, desfrutamos dessa paz Nele. Desde

Adão até Moisés, o pecado dominava totalmente o mundo, e as pessoas

não tinham consciência de tal fato, mas através de Moisés veio a lei

impossível de salvar alguém, mas que servia para apontar o pecado. A

lei de Moisés mostrou o que era pecado e o que não era, e apresentava

o castigo, a punição para os infratores, e nela, digo na lei, não havia

absolvição, somente a condenação, e a absolvição, o resgate, a

justificação, a salvação só veio por Cristo. “Porque, se pela ofensa de um

só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da

Graça, e do Dom da Justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.

Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens

para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a Graça

sobre todos os homens para justificação de vida. Porque, como pela

desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim

pela obediência de um muitos serão feitos justos. Veio, porém, a lei para

que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a

Graça; para que, assim como o pecado reinou na morte, também a

Graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso

Senhor.” (Romanos 5:17-21).

Leiam e pratiquem a Bíblia, mais especificamente o Novo Testamento.

Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page