top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Guardai-vos



“Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles; de outra sorte não tereis recompensa junto de vosso Pai, que está nos céus. Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita; para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.” (Mateus 6:1-4)

Atualmente, quando vejo nas redes sociais alguma postagem sobre pessoas que estão dando uma cesta básica, um trocadinho qualquer, e fazem questão de se filmar fazendo aquele ato, isso me deixa triste, pois, na verdade, elas não estão fazendo nenhum bem para a outra pessoa nem para si mesmas. Em primeiro lugar, elas estão expondo aquele a quem supostamente estão ajudando, e segundo estão pecando diante do Senhor, porque, se quisermos ajudar, socorrer alguém, nada temos que falar ou comentar com quem quer que seja. Não podemos fazer propaganda em cima das desgraças dos outros, e todos os que querem se promover através das dificuldades, necessidades do seu próximo estão cavando a sua própria sepultura. A bem da verdade, devemos sim sempre socorrer, ajudar todas as pessoas que estão passando por necessidades, mas isso nós temos que fazer em secreto, basta somente nosso Pai Celestial saber, pois tudo o que fazemos e pensamos é do conhecimento Dele. As pessoas que estão passando por necessidades não estão nessa situação porque querem, portanto, elas se sentem envergonhadas por estarem nessa posição. Assim sendo, façamos o bem, mas simplesmente por fazer o que é certo, e não divulguemos. Jesus dá um exemplo dizendo que o que uma mão faz a outra não precisa saber, portanto, não podemos ficar nos galardoando, dizendo que ajudamos esta ou aquela pessoa. Muitos, por não poderem ficar se mostrando, deixam de ajudar, pois o objetivo deles é simplesmente aparecer, se promover, e não querem ajudar por compadecer dos seus semelhantes, assim também não irão encontrar a compaixão de Cristo, pois devemos amar o próximo como a nós mesmos, e devemos entender que nós, sendo maus, pecadores, errantes, Jesus nos amou e se entregou por nós, então que amemos também com a mesma intensidade.

“E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará diante dos homens. E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes. Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu Nome; venha o teu Reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes entrar em tentação; mas livra-nos do mal. [porque teu é o Reino e o Poder, e a Glória, para sempre, Amém.]” (Mateus 6:5-13). Também devemos atentar em relação às nossas orações, pois muitas vezes estamos fazendo oração para nós mesmos, simplesmente com o objetivo de nos engrandecer, de sermos vistos e elogiados. Não temos que nos preocupar com o que as pessoas pensam a nosso respeito, e muito menos se gostam ou não das nossas orações, pois oração nós fazemos a Deus e em Nome de Jesus Cristo. Também não podemos ficar sempre repetindo a mesma coisa, aquela ladainha toda vida, porque, se cremos que temos um Pai que é o Deus Todo Poderoso e Criador de tudo, então que apresentemos nossos pedidos de maneira adulta e consciente. Jesus nos deu uma base para orar, mas não é para ficarmos repetindo a oração do Pai Nosso, e sim aprender por ela, porque, se ficarmos somente repetindo as mesmas palavras, estamos somente sendo chatos, mecânicos, e nossa oração é improdutiva. Oração é um diálogo, é uma via de mão dupla, devemos falar com o nosso Pai e também ouvi-lo através do seu Espírito. A melhor coisa para fazermos, o melhor lugar para orarmos é em nosso quarto, quando fechamos a porta e falamos calmamente com o nosso Deus. Volto a insistir: ninguém tem que estar ouvindo nossas orações, somente um, que é o nosso Pai, portanto, falemos com Ele de maneira clara, pois Ele nos conhece melhor do que nós mesmos. Oramos a Ele, e não às pessoas, intercedemos por pessoas, mas isso não quer dizer que elas têm que ver ou saber, basta o nosso Pai saber, que já é o suficiente. “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas. Quando jejuardes, não vos mostreis contristrados como os hipócritas; porque eles desfiguram os seus rostos, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto, para não mostrar aos homens que estás jejuando, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração.” (Mateus 6:14-21).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

filhinhos

Comments


bottom of page