top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Fazer a vontade de Deus



“E nós, cooperando com Ele, também vos exortamos a que não recebais a Graça de Deus em vão; (porque diz: No tempo aceitável te escutei e no dia da salvação te socorri; eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação); não dando nós nenhum motivo de escândalo em coisa alguma, para que o nosso ministério não seja censurado; antes em tudo recomendando-nos como ministros de Deus; em muita perseverança, em aflições, em necessidades, em angústias, em açoites, em prisões, em tumultos, em trabalhos, em vigílias, em jejuns, na pureza, na ciência, na longanimidade, na bondade, no Espírito Santo, no amor não fingido, na Palavra da Verdade, no Poder de Deus, pelas armas da justiça à direita e à esquerda, por honra e por desonra, por má fama e por boa fama; como enganadores, porém verdadeiros; como desconhecidos, porém bem conhecidos; como quem morre, e eis que vivemos; como castigados, porém não mortos; como entristecidos, mas sempre nos alegrando; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, mas possuindo tudo.” (2 Coríntios 6:1-10)

Todos nós que afirmamos que conhecemos o Senhor devemos aprender a viver nas dependências Dele e saber que na hora exata Ele entrará com providências e tudo mudará. Portanto, não podemos viver lamentando, resmungando ou reclamando, porque o socorro Dele virá na hora certa, e não quando queremos, desejamos ou achamos que precisamos. Temos que procurar viver como verdadeiros homens e mulheres de Deus, como seguidores de Cristo. Não podemos ser maus exemplos, porque assim estaremos ofendendo Cristo, estaremos denegrindo o seu Nome, pois Ele é Santo e, portanto, se somos seus seguidores, temos que viver em santidade e justiça. Sabemos que as lutas são comuns e esperadas na vida dos que professam a fé em Jesus Cristo, assim não nos alarmemos e nos desesperamos, devemos somente olhar para a frente, para o Alvo e Consumidor da nossa fé. É exatamente nas lutas e batalhas que devemos mostrar a nossa fé Nele.

“ó coríntios, a nossa boca está aberta para vós, o nosso coração está dilatado! Não estais estreitados em nós; mas estais estreitados nos vossos próprios afetos. Ora, em recompensa disto (falo como a filhos), dilatai-vos também vós. Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas?” (2 Coríntios 6:11-14). Todos os que dizem ser praticantes do Evangelho têm que ter a consciência de que vivemos de maneira separada, apartada das pessoas que vivem no mundo, isto porque temos uma maneira totalmente diferente de viver e encarar o mundo. Enquanto quem vive no mundo está preocupado em ser feliz, em desfrutar de prazeres e alegrias do mundo, em obter riquezas, em ter bens materiais e em reinar aqui, nós, os cristãos verdadeiros, estamos preocupados em fazer a vontade de Deus, estamos desejosos de o agradar, assim não temos tempo de nos preocupar ou desejar qualquer coisa que não seja a vontade do nosso Senhor. Temos que todos os dias mortificar a nossa carne, lutar contra os desejos humanos, porque temos que viver não carnalmente, mas espiritualmente, uma vez que a vontade da carne é contrária à vontade do espirito. Não podemos falar que somos cristãos e participarmos dos prazeres e desejos do mundo, porque é inconcebível, é ilógico, já que somos o oposto. Assim, sabemos que não existe aliança, junção entre nós e o mundo, e se isso estiver acontecendo, é porque sabemos que não pertencemos a Deus, mas sim ao mundo. Fomos escolhidos para viver de maneira separada, viver em santidade, consagrando-nos ao Senhor, sabendo que a qualquer momento o Senhor estará voltando, e se não nos encontrar vivendo como Ele determinou, nós seremos enviados para o sofrimento eterno. Não existe sociedade da injustiça com a justiça, nem das luzes com as trevas; se fomos chamados para sermos luzes e se atendemos o nosso chamado, não temos comunhão com as trevas. A Luz condena as trevas, se nós não estivermos fazendo o que Senhor determinou, somos trevas também. Não devemos ter nenhuma preocupação em agradar as pessoas, fazê-las gostarem de nós; nós as amamos todas, mas não com amor carnal, e sim com o amor de Jesus Cristo, e desejamos que todas venham a se converter a Cristo, conhecê-lo assim como nós o conhecemos, para que possam ser salvas. Assim tratamos a todos de maneira diferente e não como as pessoas que dizem amar tratam, concordando com os seus erros e pecados. Nós, exatamente por amá-las, condenamos o pecado, somos luzes e não trevas. “Que harmonia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem o crente com o incrédulo? E que consenso tem o santuário de Deus com ídolos? Pois nós somos santuário de Deus vivo, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor; e não toqueis coisa imunda, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.” (2 Coríntios 6:15-18).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino




3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page