top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Ensinar a orar



“Estava Jesus em certo lugar orando e, quando acabou, disse-lhe um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos. Ao que Ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu Nome; venha o teu Reino; dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano; e perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo aquele que nos deve; e não nos deixes entrar em tentação, [mas livra-nos do mal.] Disse-lhes também: Se um de vós tiver um amigo, e se for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, pois que um amigo meu, estando em viagem, chegou a minha casa, e não tenho o que lhe oferecer; e se ele, de dentro, responder: Não me incomodes; já está a porta fechada, e os meus filhos estão comigo na cama; não posso levantar-me para te atender; digo-vos que, ainda que se levante para dar-lhos, por ser seu amigo, todavia, por causa da sua importunação, se levantará e lhe dará quantos pães ele precisar. Pelo que eu vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; pois todo o que pede, recebe; e quem busca acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á.” (Lucas 11:1-10)

Quando os discípulos pediram a Jesus para ensinar-lhes a orar, Jesus mostrou não só para eles, mas para todos nós como devem ser as nossas orações. Temos que ficar alerta para não ficarmos repetindo as mesmas palavras que Jesus pronunciou, pois aí seria uma simples repetição, o que Jesus condenou. Temos que falar diretamente com o nosso Pai, iniciando sabendo que Ele está no Céu, e clamando que venha o Reino Dele, pois só assim nos salvaremos. Temos que reconhecer em palavras quem é o nosso Deus, e não pedir riquezas, mas simplesmente que nos dê o necessário para vivermos, o nosso pão, nosso alimento, e as condições para prosseguirmos. Também pedir perdão a Ele pelos nossos pecados, pois, como Ele disse, é nossa obrigação e de todas as pessoas perdoar todos que vêm até nós clamando perdão. Independentemente da gravidade do que a pessoa cometeu contra nós, se a pessoa pedir perdão, temos que perdoar. Temos que entender que a oração é libertadora para os praticantes da Palavra de Deus, mas uma sentença de morte para os desobedientes, pois na oração pedimos que Deus nos perdoe como Ele nos perdoou, portanto, se não nos arrependermos verdadeiramente, não seremos perdoados e, consequentemente, iremos padecer por toda a eternidade.

“E qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem? Estava Jesus expulsando um demônio, que era mudo; e aconteceu que, saindo o demônio, o mudo falou; e as multidões se admiraram.” (Lucas 11:11-14). Portanto, devemos entender que, assim como sempre perdoamos os nossos filhos, pois os amamos, muito maior é o amor de Deus, portanto, quando nos arrependemos e buscamos o perdão, Ele, com certeza, nos perdoará, atenderá aos nossos pedidos. Mas devemos observar que existem regras para buscar o Senhor. Não podemos fazer de qualquer jeito, mas sempre de acordo com as suas determinações. E a regra inegociável é que, se não perdoarmos as pessoas, o Senhor também jamais nos perdoará, e se não recebermos o seu perdão, estamos fadados à condenação eterna. Mas, se perdoarmos as pessoas, podemos, se estivermos arrependidos, ir ao Senhor em oração e clamarmos com a certeza de que seremos respondidos favoravelmente. Quando somos obedientes ao Senhor, Ele nos limpa, purifica e expulsa todo o mal de nós, e não precisamos ficar desesperados por nada, somente confiar Nele. Assim como Jesus expulsou o demônio dessa pessoa, também expulsará todo o mal das nossas vidas se estivermos arrependidos dos nossos erros, mas temos que tomar muito cuidado, para não creditarmos a ação do Espírito Santo ao acaso, à sorte, ou duvidar do Poder de Deus, pois podemos vir a incorrer em pecado imperdoável. Assim, sejamos homens e mulheres verdadeiramente crentes, sejamos sinceros, e que as nossas orações sejam sempre verdadeiras, pois podemos enganar todos, só não esqueçamos que ninguém engana Deus, uma vez que Ele nos conhece melhor do que nós mesmos. “Mas alguns deles disseram: É por Belzebu, o príncipe dos demônios, que Ele expulsa os demônios. E outros, experimentando-o, lhe pediam um sinal do céu. Ele, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo será assolado, e casa sobre casa cairá. Ora, pois, se Satanás está dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino? Pois dizeis que eu expulso dos demônios por Belzebu. E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam os vossos filhos? Por isso eles mesmos serão os vossos juízes. Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, logo é chegado a vós o Reino de Deus.” (Lucas 11:15-20).

Leiam e pratiquem a Bíblia, mais especificamente o Novo Testamento.

Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page