top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Em oculto



“Depois disto andava Jesus pela Galiléia; pois não queria andar pela Judéia, porque os judeus procuravam matá-lo. Ora, estava próxima a festa dos judeus, a dos tabernáculos. Disseram-lhe, então, seus irmãos: Retira-te daqui e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes. Porque ninguém faz coisa alguma em oculto, quando procura ser conhecido. Já que fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo. Pois nem seus irmãos criam Nele.” (João7:1-5)

 

         Quando vejo as pessoas reclamando por serem perseguidas pelos seus familiares, por eles lhes criticarem, fazerem chacotas, pelo fato de elas terem tomado uma posição e procurarem obedecer ao Senhor Jesus, percebo que na verdade elas ainda precisam se converter. O fato de reclamarem, de se acharem injustiçadas porque as pessoas não compreendem e não aceitam a decisão que elas tomaram de se sujeitarem a Cristo já deixa claro que elas podem estar tentando se converter, mas ainda não se converteram. Na vida do cristão são esperadas lutas, incompreensão, perseguição e muito mais, porque ainda estamos neste mundo cujo príncipe é o diabo, e assim, quando nos rendemos ao Senhor, ele não aceita e manda os seus servos e todas as pessoas que vivem na carne nos incomodar. Mas devemos ficar felizes por sabermos que estamos fazendo o que é certo, porque, se estivéssemos fazendo a vontade do diabo ou do mundo, não seríamos perseguidos. Também não podemos viver reclamando, lamentando, porque toda reclamação é contra o Senhor. Temos exemplo em nosso Mestre Jesus Cristo, que, apesar de ser Deus, estava como ser humano e foi perseguido até pela sua família terrena. Apesar de Maria saber sua origem, saber quem era o Pai Dele, ela inúmeras vezes permitiu-se agir na carne, na emoção, e julgá-lo como  se Ele estivesse fora de si. Eu não consigo entender as pessoas, digo os católicos, que gostam de glorificar, endeusar Maria, mas omitem suas dúvidas, insegurança, carnalidade, eles omitem até o fato de ela ter tido vários filhos. Os meio-irmãos de Jesus, os filhos de Maria e José, não acreditavam Nele, como os versículos acima nos mostram, apesar de verem os milagres que Ele fazia, e mesmo assim o desafiavam, mas Ele não reclamava, foi o Cordeiro mudo.

         “Disse-lhes, então, Jesus: Ainda não é chegado o meu tempo; mas o vosso tempo sempre está presente. O mundo não vos pode odiar; mas ele me odeia a mim, porquanto dele testifico que as suas obras são más.  Subi vós à festa; eu não subo ainda a esta festa, porque ainda não é chegado o meu tempo. E, havendo-lhes dito isto, ficou na Galiléia.” (João 76-9). Jesus, respondendo aos seus meio-irmãos, afirma que não era chegado o seu tempo, e ainda explica o porquê de o mundo, as pessoas o odiarem. Como Ele é Luz, e o mundo jaz em trevas, Jesus mostra os erros, e o mundo não quer que suas faltas, seus erros sejam conhecidos. Quando nos convertemos ao Senhor, então temos a sua Luz, e essa Luz incomoda o mundo exatamente por mostrar os seus erros; assim como não pretendem abandonar os erros, elas preferem condenar a Luz. Temos exemplo em nosso Mestre, que veio ao mundo e foi perseguido, preso, espancado e depois condenado, crucificado por aquelas pessoas religiosas que diziam conhecer e amar Deus. Não precisamos abrir a boca para falar que as pessoas estão em erro, mas só o nosso comportamento faz com que elas percebam que estão em erro, portanto, condenam a nossa atitude, pois querem que todos sejam como eles, os porcos, não querem que ninguém fique limpo, querem que todos sejam sujos como eles, que estão na lama. Se somos cristãos, não ficamos lamentando ou chorando por sermos perseguidos, nós glorificamos o Nome do Senhor todo o tempo, porque sabemos que o nosso tempo de refrigério, de paz não é aqui, mas junto Dele. Quando for possível, devemos sempre procurar evitar os confrontos, não temos que tentar dar uma de super-herói e dizer que não tem como fugir, pois o nosso Mestre, em algumas situações, Ele fugiu, Ele se retirava para longe, e nós não somos melhores do que Ele. Não podemos esquecer que não devemos afrontar o inimigo, para que possamos sofrer dano em nosso corpo, porque, afinal, somos templo do Senhor e temos a obrigação de cuidar e proteger dele. “Mas quando seus irmãos já tinham subido à festa, então subiu Ele também, não publicamente, mas como em secreto.” (João 7:10).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

filhinhos

Comments


bottom of page