top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Com que poder?



“Enquanto eles estavam falando ao povo, sobrevieram-lhes os sacerdotes, o capitão do templo e os saduceus, doendo-se muito de que eles ensinassem o povo, e anunciassem em Jesus a ressurreição dentre os mortos, deitaram mão neles, e os encerraram na prisão até o dia seguinte; pois era já tarde. Muitos, porém, dos que ouviram a Palavra, creram, e se elevou o número dos homens a quase cinco mil. No dia seguinte, reuniram-se em Jerusalém as autoridades, os anciãos, os escribas, e Anás, o sumo sacerdote, e Caifás, João, Alexandre, e todos quantos eram da linhagem do sumo sacerdote. E, pondo-os no meio deles, perguntaram: Com que poder ou em nome de quem fizestes vós isto?” (Atos 4:1-7)

Pedro e os outros discípulos de Jesus estavam pregando o Evangelho de Jesus Cristo, porque ele e João tinham curado um coxo, um aleijado em Nome de Jesus, e então todo o povo diante de tão grande testemunho os cercou, e eles aproveitaram para ensinar sobre o Evangelho. Mas, quando eles estavam falando sobre a ressureição dentre os mortos, os religiosos, tomados de inveja, os denunciaram e mandaram os guardas prendê-los. Então foram presos e deixados a passar a noite na prisão, para que no dia seguinte o sacerdote e os outros religiosos tomassem uma decisão em relação a eles. Mas mesmo eles sendo levados presos, as pessoas que tinham ouvido os ensinos, as pregações, e visto, presenciado a cura daquele coxo, ficaram tão impressionadas, que resolveram seguir Jesus, e naquele dia, cinco mil pessoas se converteram ao Senhor, mesmo Pedro e João sendo levados presos. No dia seguinte, a nata religiosa, as supostas autoridades religiosas, mandaram tirar os discípulos da prisão e os conduzir a eles para serem interrogados. Logo já lhes perguntaram em nome de quem ou autorizados por quem eles fizeram aquele milagre. Veja que eles estavam preocupados não em agradecer, pois, afinal, uma pessoa deficiente foi curada, deveriam era agradecer a Deus, mas, como não foram eles que fizeram tal coisa, estavam com ciúmes e queriam punir quem os fez.

“Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Autoridades do povo e vós, anciãos, se nós hoje somos inquiridos acerca do benefício feito a um enfermo, e do modo como foi curado, seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em Nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, nesse Nome está este aqui, são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta como Pedra Angular. E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há dado entre os homens, em que devamos ser salvos. Então eles, vendo a intrepidez de Pedro e João, e tendo percebido que eram homens iletrados e indoutos, se admiravam; e reconheciam que haviam estado com Jesus. E vendo em pé com eles o homem que fora curado, nada tinham que dizer em contrário.” (Atos 4:8-14). Pedro, cheio do Espírito de Deus, responde não se preocupando em dizer que era inocente, não clamando misericórdias, mas testemunhando, pregando o Evangelho, enaltecendo o Nome do Senhor. E ainda fala que eles estavam sendo interrogados por um benefício que fizeram a uma pessoa. Fala que quem curou não foram eles, que tudo foi feito em Nome de Jesus, e quando fazemos algo em nome de outro, então quem está fazendo é esse outro. E ainda lembra que quem curou aquele que era coxo foi Jesus Cristo, que eles o prenderam e o crucificaram e Ele foi morto, mas que Deus, o Pai, havia o ressuscitado, portanto, Ele estava operando aquele e outros milagres. Mais uma vez esclarece que Jesus Cristo é que é o Salvador, e que não existe ninguém que possa salvar se não for Ele. Esses religiosos, agora observando a fala de Pedro, a maneira como se expressava com segurança, e eles sabiam que ele era um simples pescador semianalfabeto, entenderam que algo havia acontecido, principalmente por eles verem aquele que foi curado, que era muito conhecido por viver mendigando na porta do templo, e agora em pé normal e andando. “Todavia, mandando-os sair do sinédrio, conferenciaram entre si, dizendo: Que havemos de fazer a estes homens? porque a todos os que habitam em Jerusalém é manifesto que por eles foi feito um sinal notório, e não o podemos negar. Mas, para que não se divulgue mais entre o povo, ameacemo-los para que de ora em diante não falem neste nome a homem algum. E, chamando-os, ordenaram-lhes que absolutamente não falassem nem ensinassem em Nome de Jesus. Mas Pedro e João, respondendo, lhes disseram: Julgai vós se é justo diante de Deus ouvir-nos antes a vós do que a Deus; pois nós não podemos deixar de falar das coisas que temos visto e ouvido. Mas eles ainda os ameaçaram mais, e, não achando motivo para os castigar, soltaram-nos, por causa do povo; porque todos glorificavam a Deus pelo que acontecera; pois tinha mais de quarenta anos o homem em quem se operara esta cura milagrosa. E soltos eles, foram para os seus, e contaram tudo o que lhes haviam dito os principais sacerdotes e os anciãos.” (Atos 4:15-23).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page