top of page
  • Foto do escritorPr. Henrique Lino da Silva

Buscar sempre



“Ora, chegavam-se a Ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir. E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles. Então Ele lhes propôs esta parábola: Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai após a perdida até que a encontre? E achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo; e chegando a casa, reúne os amigos e vizinhos e lhes diz: Alegrai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se havia perdido. Digo-vos que assim haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.” (Lucas 15:1-7)

Todos procuravam Jesus para ouvir as suas pregações, e olha que Ele não ficava pregando, oferecendo bênçãos e falsas promessas como os pregadores modernos fazem. Jesus falava do Reino, ensinava o caminho da salvação e fazia questão de pregar, de ensinar para todos os que queriam o ouvir, mas jamais soubemos dele insistindo com quem quer que seja. Jesus pregava, ensinava, e quem queria e aceitava o seguia, sempre ouvindo e aprendendo, mas quem não queria ficava para trás. E agora Ele nos dá mais um grande ensinamento, porque nos mostra que, assim como Ele, devemos nos preocupar em evangelizar, em pregar para quem não conhece o Senhor, pois essas são as ovelhas perdidas, são as que precisam ser encontradas, cuidadas e trazidas para a casa do Pai. Mas a maioria pensa que ovelha perdida é alguém que estava no Evangelho, ou melhor, frequentando uma congregação denominacional, e por qualquer motivo a abandonou e se afastou, e pensam que devem ir atrás dessas. Mas não é assim, mesmo porque, se alguém conhecia o Caminho e se desviou, é porque realmente não ama e não teme o Senhor, não tem e nunca teve compromisso com Ele, assim, essas que já conhecem o Evangelho, devemos deixar simplesmente elas decidirem o que querem para elas, não podemos ficar insistindo. Mas se elas amanhã depois se arrependerem, então a situação muda.

“Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas e perdendo uma dracma, não acende a candeia, e não varre a casa, buscando com diligência até encontrá-la? E achando-a, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu havia perdido. Assim, digo-vos, há alegria na presença dos anjos de Deus por um só pecador que se arrepende.” (Lucas 15:8-10). Todos nós fomos criados para sermos adoradores eternos do Senhor, e não podemos esquecer que adorar o Senhor não se resume a cantar uma musiquinha qualquer que cita o seu Nome (que é Santo para sempre Amém) nem ficar horas orando, fazendo jejum, nem dando ofertas, fazendo campanhas, ou participando de desafios. Adorar o Senhor é viver em conformidade com o seu Evangelho, portanto, sempre que possível, todos nós devemos pregar para as pessoas que não conhecem o Evangelho, que estão em religiões várias, que estão nos pecados, porque essas são as ovelhas perdidas do Senhor, e quando uma delas se converte a Ele e não a uma denominação, então existe festa no Céu, há alegria, os anjos festejam. As pessoas acham que as ovelhas são somente quem se autointitula crente, evangélica, mas todos nós, todas as almas viventes, pensantes, todos os seres humanos são as ovelhas, só que a maioria vive como bode, vive na rebeldia. Então, todo o tempo que sejamos exemplos, que mostremos a face de Cristo, e assim estaremos indo atrás das ovelhas perdidas, e elas, vendo o nosso proceder, que venham e queiram servir o mesmo Deus que nós. Vamos ser sábios e buscar sempre entender, compreender a Palavra de Deus, o que Ele está nos falando, não devemos ficar presos a ensinamentos sem buscar a confirmação na Palavra de Deus. Assim, veremos que muito do que os pregadores modernos ensinam é exatamente o contrário do que Jesus ensina, e sempre lembro que não temos e nem podemos ser religiosos, mas servos, seguidores de Cristo. “Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos. O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois, os seus haveres. Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar necessidades. Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos.” (Lucas 15:11-15).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino




10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page