• Pr. Henrique Lino da Silva

A MULTIDÃO QUER SOMENTE BENÇÃO


“No dia seguinte, a multidão que estava do outro lado do mar, vendo que não havia ali mais do que um barquinho, a não ser aquele no qual os discípulos haviam entrado, e que Jesus não entrara com os seus discípulos naquele barquinho, mas que os seus discípulos tinham ido sozinhos (Contudo, outros barquinhos tinham chegado de Tiberíades, perto do lugar onde comeram o pão, havendo o Senhor dado graças).” (João 6:22-23)

          Jesus tinha alimentado uma multidão de pessoas com cinco pãezinhos de cevada e dois peixinhos, e todos tinham comido, se fartado e ainda sobraram doze cestos cheios. Temos que observar que era uma grande multidão, pois só homens eram cinco mil, mais as mulheres e crianças, então calculamos um grande número de pessoas, mas, a bem da verdade, se fossem somente cem pessoas já seria um grande milagre. Então as pessoas, após verem aquele grande sinal, queriam de todas as maneiras levantar Jesus como rei físico de Israel, pois não entendiam e nem compreendiam as Escrituras, mas sabiam que Jesus era o Messias, então imaginavam que a Palavra se referia a rei físico de Israel. Porém, Jesus era e é o nosso Rei Supremo, Rei dos reis. Jesus tinha mandado os seus discípulos para o outro lado do lago Genesaré, ou Tiberíades, como também é conhecido, enquanto Ele subiu ao monte para orar a sós. Mais tarde, de madrugada, Ele vai ao encontro deles andando sobre as águas, quando enfrentavam uma tempestade. Mas quando o povo que ficou começou a buscá-lo, e vendo que Ele não tinha entrado no barco, e que os seus discípulos é que tinham ido sozinhos, passou então a procurá-lo, mas não com a intenção de adorá-lo ou reverenciá-lo como o Filho de Deus, ou como Deus, mas simplesmente como alguém milagreiro que os tinha alimentado. Estavam procurando-o somente por causa do milagre dos pães, eles queriam somente o alimento para o corpo físico, buscavam somente o que era material. Assim é a multidão de pessoas que frequentam determinados tipos de templos nos quais são ensinadas a buscar o Senhor somente por causa de milagres, e não para reverenciá-lo, para amá-lo. Essas pessoas são somente religiosas, buscadoras de bênçãos, participam de todas as campanhas, vão a todos os eventos em que falam que o pregador vai operar algum milagre. Mas nunca conseguem nada, não conseguem mudar de vida, não conseguem paz, porque não estão buscando Jesus, e sim somente o resultado de uma busca física.

 “Vendo, pois, a multidão que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, entraram eles também nos barcos, e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus. E, achando-o no outro lado do mar, disseram-lhe: Rabi, quando chegaste aqui? ” (João 6:24-25). Nessa procura o povo também toma de seus barcos e cruza o lago. Eles encontram Jesus do outro lado, e logo lhe perguntam quando e como Ele chegou àquele lugar. A preocupação deles era não perder Jesus de vista, porque queriam ter o responsável por lhes dar pães e peixes para se alimentar bem próximo a eles, queriam que Ele fosse o seu rei, queriam que Ele os comandasse e se rebelasse contra César, contra Roma, uma vez que Israel naquela época vivia sob o seu domínio. Também hoje vemos pessoas buscando Jesus o tempo todo, à procura de uma cura, de um milagre, de prosperidade, querem algo para si ou para os familiares, querem emprego, querem uma libertação, mas não estão preocupadas em fazer a vontade do Senhor, não estão preocupadas em abandonar os seus erros, os seus pecados e rebeldias, querem somente o milagre. Não querem saber da vontade de Deus, querem o milagre, querem respostas às suas orações, querem muitas vezes comprar, negociar as bênçãos, e por isso participam de campanhas criadas por pastores profissionais, em que têm que colocar valores em envelopes ou comprar algo tipo água, fita, palito rosa, toalha, lenços supostamente ungidos. “Jesus respondeu-lhes e disse: Na verdade, na verdade vos digo que me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou.” (João 6:26-27). Jesus os repreende e diz que eles não devem se preocupar, trabalhar, labutar somente pelo pão imediato e material, mas lutar pelo Pão que os alimenta para a vida eterna. Esse alimento, que é Jesus, é o que devemos buscar, pois o verdadeiro alimento é Jesus, por isso devemos fazer a sua vontade e não ficarmos correndo atrás de milagres e sinais, e sim buscar o Senhor, pois o maior milagre é a nossa salvação. Temos que aprender a nos moldar no seu Evangelho, obedecer-lhe, pois somente assim estaremos nos alimentando. “Disseram-lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus? Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que Ele enviou. Disseram-lhe, pois: Que sinal, pois, fazes tu, para que o vejamos, e creiamos em ti? Que operas tu? Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Deu-lhes a comer o pão do céu. Disse-lhes, pois, Jesus: Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro Pão do céu. Porque o Pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. Disseram-lhe, pois: Senhor, dá-nos sempre desse Pão.E Jesus lhes disse: Eu sou o Pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede.” (João 6:28-35).

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino.

0 visualização

©2020 por Ministério Atalaia do Evangelho de Deus.

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • Instagram