Artigos


  • Novo telefone 4020-9729

    Não é necessário acrescentar DDD para ligações nacionais à distância

  • Envie Seu Testemunho

    Envie seu testemunho para ser colocado em nosso portal, com certeza irá edificar muitas vidas.

  • Pr. Henrique Lino Ao Vivo

    Mensagens fé e ousadia de segunda à sexta às 07h da manhã. Clique aqui!

  • Casamento

    Deus tem compromisso com o casamento, busque ajuda!

  • Cadastre e Receba nossas Mensagens

    Fique por dentro de tudo que acontece no meio cristão e ainda receba estudos, palavras e muito mais todos os dias gratuitamente em seu e-mail.

  • Pergunte ao Pastor

    Esclareça suas dúvidas, deixe sua pergunta para o pastor

  • Comentários: 1
  • 23 July 2018 03:15
  • em Mensagem do Dia
  • por portal
  • Visitas: 66
  • Última modificação: -/-
  • (Classificação atual 5.0/5 Estrelas) Total de votos: 1

PARÁBOLAS E JUSTIÇA

0 0
"E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer, Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.” (Lucas 18:1-2)
 
          Para iniciarmos nossa reflexão sobre essa parábola do juiz iníquo, ou da viúva persistente, é necessário primeiro entender o que é uma parábola. As parábolas de Jesus são narrativas breves, dotadas de um conteúdo alegórico, utilizadas nas pregações e sermões de Jesus com a finalidade de transmitirem ensinamento. Quanto à sua definição exata, a parábola pode ser uma narração alegórica na qual o conjunto de elementos evoca outra realidade de ordem superior ou uma espécie de alegoria apresentada sob forma de uma narração de fatos naturais ou de acontecimentos possíveis, sempre com o objetivo de declarar ou ilustrar uma ou várias verdades. Jesus utiliza-se das parábolas para transmitir ensinamentos profundos. A despeito disso, a maioria delas sempre é marcada pela simplicidade e brevidade. Poucas delas são longas, como acontece com a Parábola dos Talentos (Mateus 25:14-30) ou a Parábola do Filho Pródigo (Lucas 11:32), embora, em alguns casos, Jesus inclua exageros — a Parábola dos dez mil talentos, uma soma astronômica de dinheiro — ou implicações alegóricas – maus vinicultores, que necessita de interpretação — ou ainda símiles e metáforas. As parábolas de Jesus são sempre tiradas da realidade do mundo cultural e social em que Ele vivia, contadas com o propósito de transmitir verdades espirituais. É importante observar que as parábolas de Jesus são compreendidas a partir do momento que existe disposição interior para compreender o próprio Mestre. Jesus ministrava suas mensagens com facilidade em todos os níveis sociais. Ele tinha conhecimento das mais diversas áreas da sociedade e sabia quais eram as suas necessidades. Conhecia os fariseus e os peritos na lei. Por meio de suas parábolas, Jesus levou aos seus ouvintes a mensagem de salvação, conclamando-os a se arrepender e a crer. Aos crentes, desafiava-os a pôr a fé em prática, exortando seus seguidores à vigilância. Quando seus discípulos tinham dificuldade para entender as parábolas, Jesus as interpretava.
 "Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.” (Lucas 18:3). Primeiro temos que observar que o juiz aqui citado é uma pessoa iníqua, sem temor, mau, assim não podemos fazer referência a Nosso Senhor, que é justo, bondoso e que tudo sabe e conhece, portanto, conhece os nossos desejos, as nossas necessidades antes mesmo de nós tomarmos conhecimento. Muitas são as pessoas que entendem que o Senhor está mandando orar de maneira incansável e repetidas vezes pelo mesmo assunto, porque é nosso dever orar, adorar o Senhor em tempo integral, dia e noite, mas devemos fazer isto porque Ele é Deus, e não ficarmos batendo na mesma tecla pedindo algo, como se o Senhor não estivesse entendendo, ou nós estivéssemos fazendo pirraça. Muitas vezes as pessoas pedem algo ao Senhor repetidas vezes. Isso na verdade mostra a falta de fé delas, porque, se cressem, apresentariam seus pedidos ao Senhor e descansariam, porque sabemos que no devido tempo acontecerá, se o que pedimos, claro, estiver de acordo com a Palavra de Deus. Se estivermos vivendo segundo a sua Palavra, sabemos que acontecerá, então descansamos e nos dedicamos a agradecer, a exaltar e a glorificar o seu Nome (que é Santo para sempre Amém). Devemos dedicar, apresentar outros pedidos, orar pelas vidas dos perdidos, clamar pela nação, pela família, por todos, mas não precisamos ficar repetindo, pois o Senhor condena as vãs repetições. Quando estamos sempre repetindo, estamos tratando o Senhor como uma pessoa que tem problemas para entender e compreender as coisas, queremos convencê-lo por nós mesmos. Assim temos que analisar que essa parábola, essa ilustração fala de um juiz injusto, por isso foi necessária a insistência da viúva. O nosso Senhor é justo, misericordioso e, principalmente, Pai. "E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens, Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito. E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.” (Lucas 18:4-6). Esse juiz precisou ser vencido pela insistência, porque estava cansado de ser importunado, cansado de ser incomodado, ele atendeu o pedido somente para ficar livre da mulher. Mas Deus é Amor, e Ele quer a nossa companhia, Ele não pretende abrir mão de nós, assim, Ele jamais vai nos atender somente porque estamos incomodando, ou para ficar livre de nós. Por isso sempre digo que é necessário lermos a Bíblia e procurar entender para não sermos somente religiosos. Temos que aprender, apresentar os nossos pedidos ao Senhor, confiar, crer e saber que se fará assim, pois o que apresentamos está de acordo com a sua Palavra. Isso não quer dizer que devemos deixar de orar, de falar com Deus, porque essa é nossa obrigação; devemos, principalmente, louvar, agradecer e pedir pela vida de todos, e não ficarmos focados em nós mesmos e nos esquecermos de que Deus é o Juiz justo, e não injusto. Por isso, quando, no final dessa narrativa, dessa parábola, Jesus pergunta: será que haverá paz na terra? Será que teremos fé para conhecer o seu Evangelho, apresentar nossos pedidos e descansar, confiar Nele? Pensem nisso. "E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a Ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando, porém, vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?” (Lucas 18:7-8).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino

Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br - O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 
Compartilhar
  • Twitter
  • del.icio.us
  • Digg
  • Facebook
  • Technorati
  • Reddit
  • Yahoo Buzz
  • StumbleUpon

Este post tem 1 Comentários

Deixe uma resposta

Nome:: Campo obrigatório.
Endereço de e-mail: Campo obrigatório. Não é visível
Website::
Código Captcha:: Campo obrigatório.
Comentário: Campo obrigatório.

CONTATOS MINISTERIAL


Telefone (Ligação Local):
4020-9729

Whatsapp 32-984259375

LIGAR SOMENTE DE FIXO  0800 042 0257 

Correspondências:
Caixa Postal 1041 - CEP 32001-970 - Contagem-MG